Mostrar 1423 resultados

Descrição arquivística
Atividades didáticas Com objeto digital
Previsualizar a impressão Ver:

3º Diálogos Proeja do CTISM

Fotografia de Rossano Villagram Dias.
Apresentação artística de aluna durante a abertura da terceira edição do evento “Diálogos Proeja”, que proporcionou a troca de experiências entre estudantes e docentes da modalidade.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

3º Diálogos Proeja do CTISM

Fotografia de Rossano Villagram Dias.
Apresentação artística de aluna durante a abertura da terceira edição do evento “Diálogos Proeja”, que proporcionou a troca de experiências entre estudantes e docentes da modalidade.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

3º Diálogos Proeja do CTISM

Fotografia de Rossano Villagram Dias.
Apresentação artística de aluna durante a abertura da terceira edição do evento “Diálogos Proeja”, que proporcionou a troca de experiências entre estudantes e docentes da modalidade.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

3º Diálogos Proeja do CTISM

Fotografia de Rossano Villagram Dias.
Apresentação artística de aluna durante a abertura da terceira edição do evento “Diálogos Proeja”, que proporcionou a troca de experiências entre estudantes e docentes da modalidade.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

3º Diálogos Proeja do CTISM

Fotografia de Rossano Villagram Dias.
Estudantes do CTISM auxiliam na preparação da abertura da terceira edição do evento “Diálogos Proeja”, que proporcionou a troca de experiências entre estudantes e docentes da modalidade.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

3º Diálogos Proeja do CTISM

Fotografia de Rossano Villagram Dias.
Terceira edição do evento “Diálogos Proeja”, que proporcionou a troca de experiências entre estudantes e docentes da modalidade.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

3º Diálogos Proeja do CTISM

Fotografia de Rossano Villagram Dias.
Apresentação artística de aluno durante a abertura da terceira edição do evento “Diálogos Proeja”, que proporcionou a troca de experiências entre estudantes e docentes da modalidade.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

3º Diálogos Proeja do CTISM

Fotografia de Rossano Villagram Dias.
Estudantes do CTISM auxiliam na preparação da abertura da terceira edição do evento “Diálogos Proeja”, que proporcionou a troca de experiências entre estudantes e docentes da modalidade.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

3º Diálogos Proeja do CTISM

Fotografia de Rossano Villagram Dias.
Apresentação artística de aluno durante a abertura da terceira edição do evento “Diálogos Proeja”, que proporcionou a troca de experiências entre estudantes e docentes da modalidade.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

3º Diálogos Proeja do CTISM

Fotografia de Rossano Villagram Dias.
Abertura da terceira edição do evento “Diálogos Proeja”, que proporcionou a troca de experiências entre estudantes e docentes da modalidade.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

6º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária (CBEU)

O 6º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária é uma iniciativa conjunta do Fórum de Pró-Reitores de Extensão das Universidades Públicas Brasileiras, do Fórum Nacional de Extensão e Ação Comunitária das Universidades e Instituições de Ensino Superior Comunitárias e Fórum de Extensão das Instituições de Ensino Superior Particulares. A relevância do evento consiste no debate acerca dos desafios da extensão universitária no Brasil, tematizando a amplitude alcançada por esta, ao plasmar o diálogo entre o saber acadêmico e o saber popular, propiciando uma rica síntese da abordagem dos problemas da realidade brasileira tanto quanto da implementação das políticas públicas até as práticas de inovação.
A temática escolhida para o 6º CBEU “Diálogos da Extensão: saberes tradicionais e inovação científica” aponta para a importância de reconhecer a existência de diferentes conhecimentos, sob a perspectiva da ciência e do senso comum. Para que, de fato, os trabalhos de extensão se constituam como respostas cada vez mais dinâmicas e propositivas, é necessário um diálogo entre os protagonistas desses conhecimentos. A Participação da UFSM: Nossa instituição teve trabalhos selecionados em todas as áreas. No total, 21 trabalhos foram escolhidos para Apresentações Orais (tendo especial destaque a área de educação com 8 trabalhos selecionados), 2 trabalhos para Rodas de Conversa e 1 trabalho na categoria Oficina. Em Belém, UFSM foi representada por alunos, professores e técnicos administrativos em educação.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

6º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária (CBEU)

O 6º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária é uma iniciativa conjunta do Fórum de Pró-Reitores de Extensão das Universidades Públicas Brasileiras, do Fórum Nacional de Extensão e Ação Comunitária das Universidades e Instituições de Ensino Superior Comunitárias e Fórum de Extensão das Instituições de Ensino Superior Particulares. A relevância do evento consiste no debate acerca dos desafios da extensão universitária no Brasil, tematizando a amplitude alcançada por esta, ao plasmar o diálogo entre o saber acadêmico e o saber popular, propiciando uma rica síntese da abordagem dos problemas da realidade brasileira tanto quanto da implementação das políticas públicas até as práticas de inovação.
A temática escolhida para o 6º CBEU “Diálogos da Extensão: saberes tradicionais e inovação científica” aponta para a importância de reconhecer a existência de diferentes conhecimentos, sob a perspectiva da ciência e do senso comum. Para que, de fato, os trabalhos de extensão se constituam como respostas cada vez mais dinâmicas e propositivas, é necessário um diálogo entre os protagonistas desses conhecimentos. A Participação da UFSM: Nossa instituição teve trabalhos selecionados em todas as áreas. No total, 21 trabalhos foram escolhidos para Apresentações Orais (tendo especial destaque a área de educação com 8 trabalhos selecionados), 2 trabalhos para Rodas de Conversa e 1 trabalho na categoria Oficina. Em Belém, UFSM foi representada por alunos, professores e técnicos administrativos em educação.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Ações da Operação Oswaldo Aranha em Faxinal do Soturno

Operação Oswaldo Aranha em Faxinal do Soturno. Em agosto de 1970 deu-se início ao projeto Operação Oswaldo Aranha, projeto que visava aperfeiçoar o ensino e a pesquisa no Centro de Ciências Rurais (CCR), a pedido da Universidade Federal de Santa Maria, além de promover o desenvolvimento do setor primário do Rio Grande do Sul, mais especificamente a zona oeste do Estado. O projeto teve o apoio do engenheiro agrônomo, prof. José Barbas Guerra, do Ministro da Educação, Dr. Tarso Dutra, do Ministro, Helio Beltrão. Denominado de FAO-BRA-33 pela Organização dos Estados Unidos – ONU, foi batizado de Projeto Oswaldo Aranha pelo Reitor da UFSM, em homenagem à Osvaldo Euclides de Sousa Aranha, um riograndense ilustre que foi presidente da Assembléia Geral das Nações Unidas. William Doerr, supervisor das fazendas da Southern Illinois University foi indicado como coordenador internacional da operação e o Diretor Nacional, o professor Derblay Galvão, respectivamente representantes da ONU e da Universidade Federal de Santa Maria. O projeto tinha por finalidade também integrar o aluno com o meio que desempenhará sua profissão, combater as parasitas e epizootias, instalação de granjas experimentais, desenvolver um programa de pesquisa e variados planos que contribuem para o desenvolvimento do Estado.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Ações da Operação Oswaldo Aranha em Faxinal do Soturno

Operação Oswaldo Aranha em Faxinal do Soturno. Em agosto de 1970 deu-se início ao projeto Operação Oswaldo Aranha, projeto que visava aperfeiçoar o ensino e a pesquisa no Centro de Ciências Rurais (CCR), a pedido da Universidade Federal de Santa Maria, além de promover o desenvolvimento do setor primário do Rio Grande do Sul, mais especificamente a zona oeste do Estado. O projeto teve o apoio do engenheiro agrônomo, prof. José Barbas Guerra, do Ministro da Educação, Dr. Tarso Dutra, do Ministro, Helio Beltrão. Denominado de FAO-BRA-33 pela Organização dos Estados Unidos – ONU, foi batizado de Projeto Oswaldo Aranha pelo Reitor da UFSM, em homenagem à Osvaldo Euclides de Sousa Aranha, um riograndense ilustre que foi presidente da Assembléia Geral das Nações Unidas. William Doerr, supervisor das fazendas da Southern Illinois University foi indicado como coordenador internacional da operação e o Diretor Nacional, o professor Derblay Galvão, respectivamente representantes da ONU e da Universidade Federal de Santa Maria. O projeto tinha por finalidade também integrar o aluno com o meio que desempenhará sua profissão, combater as parasitas e epizootias, instalação de granjas experimentais, desenvolver um programa de pesquisa e variados planos que contribuem para o desenvolvimento do Estado.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Ações da Operação Oswaldo Aranha em Faxinal do Soturno

Operação Oswaldo Aranha em Faxinal do Soturno. Em agosto de 1970 deu-se início ao projeto Operação Oswaldo Aranha, projeto que visava aperfeiçoar o ensino e a pesquisa no Centro de Ciências Rurais (CCR), a pedido da Universidade Federal de Santa Maria, além de promover o desenvolvimento do setor primário do Rio Grande do Sul, mais especificamente a zona oeste do Estado. O projeto teve o apoio do engenheiro agrônomo, prof. José Barbas Guerra, do Ministro da Educação, Dr. Tarso Dutra, do Ministro, Helio Beltrão. Denominado de FAO-BRA-33 pela Organização dos Estados Unidos – ONU, foi batizado de Projeto Oswaldo Aranha pelo Reitor da UFSM, em homenagem à Osvaldo Euclides de Sousa Aranha, um riograndense ilustre que foi presidente da Assembléia Geral das Nações Unidas. William Doerr, supervisor das fazendas da Southern Illinois University foi indicado como coordenador internacional da operação e o Diretor Nacional, o professor Derblay Galvão, respectivamente representantes da ONU e da Universidade Federal de Santa Maria. O projeto tinha por finalidade também integrar o aluno com o meio que desempenhará sua profissão, combater as parasitas e epizootias, instalação de granjas experimentais, desenvolver um programa de pesquisa e variados planos que contribuem para o desenvolvimento do Estado.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Ações da Operação Oswaldo Aranha em Faxinal do Soturno

Operação Oswaldo Aranha em Faxinal do Soturno. Em agosto de 1970 deu-se início ao projeto Operação Oswaldo Aranha, projeto que visava aperfeiçoar o ensino e a pesquisa no Centro de Ciências Rurais (CCR), a pedido da Universidade Federal de Santa Maria, além de promover o desenvolvimento do setor primário do Rio Grande do Sul, mais especificamente a zona oeste do Estado. O projeto teve o apoio do engenheiro agrônomo, prof. José Barbas Guerra, do Ministro da Educação, Dr. Tarso Dutra, do Ministro, Helio Beltrão. Denominado de FAO-BRA-33 pela Organização dos Estados Unidos – ONU, foi batizado de Projeto Oswaldo Aranha pelo Reitor da UFSM, em homenagem à Osvaldo Euclides de Sousa Aranha, um riograndense ilustre que foi presidente da Assembléia Geral das Nações Unidas. William Doerr, supervisor das fazendas da Southern Illinois University foi indicado como coordenador internacional da operação e o Diretor Nacional, o professor Derblay Galvão, respectivamente representantes da ONU e da Universidade Federal de Santa Maria. O projeto tinha por finalidade também integrar o aluno com o meio que desempenhará sua profissão, combater as parasitas e epizootias, instalação de granjas experimentais, desenvolver um programa de pesquisa e variados planos que contribuem para o desenvolvimento do Estado.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Ações da Operação Oswaldo Aranha em Faxinal do Soturno

Operação Oswaldo Aranha em Faxinal do Soturno. Em agosto de 1970 deu-se início ao projeto Operação Oswaldo Aranha, projeto que visava aperfeiçoar o ensino e a pesquisa no Centro de Ciências Rurais (CCR), a pedido da Universidade Federal de Santa Maria, além de promover o desenvolvimento do setor primário do Rio Grande do Sul, mais especificamente a zona oeste do Estado. O projeto teve o apoio do engenheiro agrônomo, prof. José Barbas Guerra, do Ministro da Educação, Dr. Tarso Dutra, do Ministro, Helio Beltrão. Denominado de FAO-BRA-33 pela Organização dos Estados Unidos – ONU, foi batizado de Projeto Oswaldo Aranha pelo Reitor da UFSM, em homenagem à Osvaldo Euclides de Sousa Aranha, um riograndense ilustre que foi presidente da Assembléia Geral das Nações Unidas. William Doerr, supervisor das fazendas da Southern Illinois University foi indicado como coordenador internacional da operação e o Diretor Nacional, o professor Derblay Galvão, respectivamente representantes da ONU e da Universidade Federal de Santa Maria. O projeto tinha por finalidade também integrar o aluno com o meio que desempenhará sua profissão, combater as parasitas e epizootias, instalação de granjas experimentais, desenvolver um programa de pesquisa e variados planos que contribuem para o desenvolvimento do Estado.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Apresentação de trabalhos avaliativos do curso de Informática para a Internet Integrado ao Ensino Médio do CTISM

Fotografia de Rossano Villagram Dias.
Produtos desenvolvidos pelos alunos de terceiro ano como trabalho avaliativo da disciplina de Princípios de Gestão, no qual deveriam utilizar itens eletroeletrônicos descartados.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Resultados 1 a 50 de 1423