Previsualizar a impressão Fechar

Mostrar 140 resultados

Descrição arquivística
Pró-Reitoria de Extensão (PRE) Atividades administrativas e profissionais Com objeto digital
Opções de pesquisa avançada
Previsualizar a impressão Ver:

Diálogos – Cotas Afro

O Núcleo de Tecnologia Educacional da UFSM/UAB promove uma roda de conversa sobre o Programa de Ações Afirmativas da UFSM referente a Cotas AFRO. Em 2012, foi aprovada a lei 12.711/2012, garantindo 50% das vagas das universidades federais do país a estudantes oriundos das escolas públicas de ensino médio, das quais metade são para os estudantes com renda familiar igual ou inferior a um salário mínimo e meio per capita. Dentro dos critérios de preenchimento dessas vagas as universidades deverão aplicar o percentual mínimo correspondente à proporção de autodeclarados pretos e pardos, de acordo com os dados do IBGE para cada estado. As instituições federais de ensino terão até 2016 para aplicar na íntegra o conteúdo da lei.
(DIÁLOGOS Cotas AFRO. Disponível em http://feest.com.br/DIALOGOS-Cotas-AFRO-Santa-Maria-RS-14-06 e https://www.youtube.com/watch?v=POINVJ589UE. Acesso em 08/08/2017). Fotografia de Priscila Aguiar.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Diálogos – Cotas Afro

O Núcleo de Tecnologia Educacional da UFSM/UAB promove uma roda de conversa sobre o Programa de Ações Afirmativas da UFSM referente a Cotas AFRO. Em 2012, foi aprovada a lei 12.711/2012, garantindo 50% das vagas das universidades federais do país a estudantes oriundos das escolas públicas de ensino médio, das quais metade são para os estudantes com renda familiar igual ou inferior a um salário mínimo e meio per capita. Dentro dos critérios de preenchimento dessas vagas as universidades deverão aplicar o percentual mínimo correspondente à proporção de autodeclarados pretos e pardos, de acordo com os dados do IBGE para cada estado. As instituições federais de ensino terão até 2016 para aplicar na íntegra o conteúdo da lei.
(DIÁLOGOS Cotas AFRO. Disponível em http://feest.com.br/DIALOGOS-Cotas-AFRO-Santa-Maria-RS-14-06 e https://www.youtube.com/watch?v=POINVJ589UE. Acesso em 08/08/2017). Fotografia de Priscila Aguiar.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Diálogos – Cotas Afro

O Núcleo de Tecnologia Educacional da UFSM/UAB promove uma roda de conversa sobre o Programa de Ações Afirmativas da UFSM referente a Cotas AFRO. Em 2012, foi aprovada a lei 12.711/2012, garantindo 50% das vagas das universidades federais do país a estudantes oriundos das escolas públicas de ensino médio, das quais metade são para os estudantes com renda familiar igual ou inferior a um salário mínimo e meio per capita. Dentro dos critérios de preenchimento dessas vagas as universidades deverão aplicar o percentual mínimo correspondente à proporção de autodeclarados pretos e pardos, de acordo com os dados do IBGE para cada estado. As instituições federais de ensino terão até 2016 para aplicar na íntegra o conteúdo da lei.
(DIÁLOGOS Cotas AFRO. Disponível em http://feest.com.br/DIALOGOS-Cotas-AFRO-Santa-Maria-RS-14-06 e https://www.youtube.com/watch?v=POINVJ589UE. Acesso em 08/08/2017). Fotografia de Priscila Aguiar.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Diálogos – Cotas Afro

O Núcleo de Tecnologia Educacional da UFSM/UAB promove uma roda de conversa sobre o Programa de Ações Afirmativas da UFSM referente a Cotas AFRO. Em 2012, foi aprovada a lei 12.711/2012, garantindo 50% das vagas das universidades federais do país a estudantes oriundos das escolas públicas de ensino médio, das quais metade são para os estudantes com renda familiar igual ou inferior a um salário mínimo e meio per capita. Dentro dos critérios de preenchimento dessas vagas as universidades deverão aplicar o percentual mínimo correspondente à proporção de autodeclarados pretos e pardos, de acordo com os dados do IBGE para cada estado. As instituições federais de ensino terão até 2016 para aplicar na íntegra o conteúdo da lei.
(DIÁLOGOS Cotas AFRO. Disponível em http://feest.com.br/DIALOGOS-Cotas-AFRO-Santa-Maria-RS-14-06 e https://www.youtube.com/watch?v=POINVJ589UE. Acesso em 08/08/2017). Fotografia de Priscila Aguiar.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Diálogos – Cotas Afro

O Núcleo de Tecnologia Educacional da UFSM/UAB promove uma roda de conversa sobre o Programa de Ações Afirmativas da UFSM referente a Cotas AFRO. Em 2012, foi aprovada a lei 12.711/2012, garantindo 50% das vagas das universidades federais do país a estudantes oriundos das escolas públicas de ensino médio, das quais metade são para os estudantes com renda familiar igual ou inferior a um salário mínimo e meio per capita. Dentro dos critérios de preenchimento dessas vagas as universidades deverão aplicar o percentual mínimo correspondente à proporção de autodeclarados pretos e pardos, de acordo com os dados do IBGE para cada estado. As instituições federais de ensino terão até 2016 para aplicar na íntegra o conteúdo da lei.
(DIÁLOGOS Cotas AFRO. Disponível em http://feest.com.br/DIALOGOS-Cotas-AFRO-Santa-Maria-RS-14-06 e https://www.youtube.com/watch?v=POINVJ589UE. Acesso em 08/08/2017). Fotografia de Priscila Aguiar.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Diálogos – Cotas Afro

O Núcleo de Tecnologia Educacional da UFSM/UAB promove uma roda de conversa sobre o Programa de Ações Afirmativas da UFSM referente a Cotas AFRO. Em 2012, foi aprovada a lei 12.711/2012, garantindo 50% das vagas das universidades federais do país a estudantes oriundos das escolas públicas de ensino médio, das quais metade são para os estudantes com renda familiar igual ou inferior a um salário mínimo e meio per capita. Dentro dos critérios de preenchimento dessas vagas as universidades deverão aplicar o percentual mínimo correspondente à proporção de autodeclarados pretos e pardos, de acordo com os dados do IBGE para cada estado. As instituições federais de ensino terão até 2016 para aplicar na íntegra o conteúdo da lei.
(DIÁLOGOS Cotas AFRO. Disponível em http://feest.com.br/DIALOGOS-Cotas-AFRO-Santa-Maria-RS-14-06 e https://www.youtube.com/watch?v=POINVJ589UE. Acesso em 08/08/2017). Fotografia de Priscila Aguiar.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Diálogos – Cotas Afro

O Núcleo de Tecnologia Educacional da UFSM/UAB promove uma roda de conversa sobre o Programa de Ações Afirmativas da UFSM referente a Cotas AFRO. Em 2012, foi aprovada a lei 12.711/2012, garantindo 50% das vagas das universidades federais do país a estudantes oriundos das escolas públicas de ensino médio, das quais metade são para os estudantes com renda familiar igual ou inferior a um salário mínimo e meio per capita. Dentro dos critérios de preenchimento dessas vagas as universidades deverão aplicar o percentual mínimo correspondente à proporção de autodeclarados pretos e pardos, de acordo com os dados do IBGE para cada estado. As instituições federais de ensino terão até 2016 para aplicar na íntegra o conteúdo da lei.
(DIÁLOGOS Cotas AFRO. Disponível em http://feest.com.br/DIALOGOS-Cotas-AFRO-Santa-Maria-RS-14-06 e https://www.youtube.com/watch?v=POINVJ589UE. Acesso em 08/08/2017). Fotografia de Priscila Aguiar.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Diálogos – Cotas Afro

O Núcleo de Tecnologia Educacional da UFSM/UAB promove uma roda de conversa sobre o Programa de Ações Afirmativas da UFSM referente a Cotas AFRO. Em 2012, foi aprovada a lei 12.711/2012, garantindo 50% das vagas das universidades federais do país a estudantes oriundos das escolas públicas de ensino médio, das quais metade são para os estudantes com renda familiar igual ou inferior a um salário mínimo e meio per capita. Dentro dos critérios de preenchimento dessas vagas as universidades deverão aplicar o percentual mínimo correspondente à proporção de autodeclarados pretos e pardos, de acordo com os dados do IBGE para cada estado. As instituições federais de ensino terão até 2016 para aplicar na íntegra o conteúdo da lei.
(DIÁLOGOS Cotas AFRO. Disponível em http://feest.com.br/DIALOGOS-Cotas-AFRO-Santa-Maria-RS-14-06 e https://www.youtube.com/watch?v=POINVJ589UE. Acesso em 08/08/2017). Fotografia de Priscila Aguiar.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Diálogos – Cotas Afro

O Núcleo de Tecnologia Educacional da UFSM/UAB promove uma roda de conversa sobre o Programa de Ações Afirmativas da UFSM referente a Cotas AFRO. Em 2012, foi aprovada a lei 12.711/2012, garantindo 50% das vagas das universidades federais do país a estudantes oriundos das escolas públicas de ensino médio, das quais metade são para os estudantes com renda familiar igual ou inferior a um salário mínimo e meio per capita. Dentro dos critérios de preenchimento dessas vagas as universidades deverão aplicar o percentual mínimo correspondente à proporção de autodeclarados pretos e pardos, de acordo com os dados do IBGE para cada estado. As instituições federais de ensino terão até 2016 para aplicar na íntegra o conteúdo da lei.
(DIÁLOGOS Cotas AFRO. Disponível em http://feest.com.br/DIALOGOS-Cotas-AFRO-Santa-Maria-RS-14-06 e https://www.youtube.com/watch?v=POINVJ589UE. Acesso em 10/08/2017). Fotografia de Priscila Aguiar.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Encontro de Abertura da Pré-Incubação da Incubadora Social

O Encontro de Abertura da Pré-Incubação reuniu o Colegiado Gestor da Incubadora Social da UFSM e os dez grupos selecionados para iniciar o período de pré-incubação. Um dos momentos mais importantes, no turno da manhã, foi a socialização dos grupos, que apresentaram seus produtos e atividades desenvolvidas em suas comunidades. Esse momento possibilitou que os grupos compartilhassem experiências e discutissem desafios a serem enfrentados para efetivar o processo de incubação. Na parte da tarde, os grupos apresentaram suas dúvidas e receberam orientação sobre o processo de pré-incubação. Por fim, organizou-se juntamente com os grupos um calendário de visitas às comunidades que serão realizadas pelo Colegiado Gestor ainda no mês de maio. Grupos pré-incubados: ARÁ DUDU – Coletivo de arte e cultura negra; Associação Comunitária Remanescentes quilombolas e de Júlio Borges; Associação de catadores de materiais recicláveis Palmeira Verde; Associação quilombola Linha Fão; Coletivo de resistência artística periférica- CORAP; Comunidade de terreiro Ilê Axé Ossanha Agué; Grupo de agricultores orgânicos da região central- RS; Ketaju Tegtu & Guaviraty Porã; Marias Bonitas fazendo história; NÍVEL 8**- Mulheres na construção Civil.
Fonte pesquisada: http://w3.ufsm.br/pre/index.php/pagina-inicial1/noticias/392-encontro-de-abertura-da-pre-incubacao-da-incubadora-so

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Encontro de Abertura da Pré-Incubação da Incubadora Social

O Encontro de Abertura da Pré-Incubação reuniu o Colegiado Gestor da Incubadora Social da UFSM e os dez grupos selecionados para iniciar o período de pré-incubação. Um dos momentos mais importantes, no turno da manhã, foi a socialização dos grupos, que apresentaram seus produtos e atividades desenvolvidas em suas comunidades. Esse momento possibilitou que os grupos compartilhassem experiências e discutissem desafios a serem enfrentados para efetivar o processo de incubação. Na parte da tarde, os grupos apresentaram suas dúvidas e receberam orientação sobre o processo de pré-incubação. Por fim, organizou-se juntamente com os grupos um calendário de visitas às comunidades que serão realizadas pelo Colegiado Gestor ainda no mês de maio. Grupos pré-incubados: ARÁ DUDU – Coletivo de arte e cultura negra; Associação Comunitária Remanescentes quilombolas e de Júlio Borges; Associação de catadores de materiais recicláveis Palmeira Verde; Associação quilombola Linha Fão; Coletivo de resistência artística periférica- CORAP; Comunidade de terreiro Ilê Axé Ossanha Agué; Grupo de agricultores orgânicos da região central- RS; Ketaju Tegtu & Guaviraty Porã; Marias Bonitas fazendo história; NÍVEL 8**- Mulheres na construção Civil.
Fonte pesquisada: http://w3.ufsm.br/pre/index.php/pagina-inicial1/noticias/392-encontro-de-abertura-da-pre-incubacao-da-incubadora-so

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Encontro de Abertura da Pré-Incubação da Incubadora Social

O Encontro de Abertura da Pré-Incubação reuniu o Colegiado Gestor da Incubadora Social da UFSM e os dez grupos selecionados para iniciar o período de pré-incubação. Um dos momentos mais importantes, no turno da manhã, foi a socialização dos grupos, que apresentaram seus produtos e atividades desenvolvidas em suas comunidades. Esse momento possibilitou que os grupos compartilhassem experiências e discutissem desafios a serem enfrentados para efetivar o processo de incubação. Na parte da tarde, os grupos apresentaram suas dúvidas e receberam orientação sobre o processo de pré-incubação. Por fim, organizou-se juntamente com os grupos um calendário de visitas às comunidades que serão realizadas pelo Colegiado Gestor ainda no mês de maio. Grupos pré-incubados: ARÁ DUDU – Coletivo de arte e cultura negra; Associação Comunitária Remanescentes quilombolas e de Júlio Borges; Associação de catadores de materiais recicláveis Palmeira Verde; Associação quilombola Linha Fão; Coletivo de resistência artística periférica- CORAP; Comunidade de terreiro Ilê Axé Ossanha Agué; Grupo de agricultores orgânicos da região central- RS; Ketaju Tegtu & Guaviraty Porã; Marias Bonitas fazendo história; NÍVEL 8**- Mulheres na construção Civil.
Fonte pesquisada: http://w3.ufsm.br/pre/index.php/pagina-inicial1/noticias/392-encontro-de-abertura-da-pre-incubacao-da-incubadora-so

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Encontro de Abertura da Pré-Incubação da Incubadora Social

O Encontro de Abertura da Pré-Incubação reuniu o Colegiado Gestor da Incubadora Social da UFSM e os dez grupos selecionados para iniciar o período de pré-incubação. Um dos momentos mais importantes, no turno da manhã, foi a socialização dos grupos, que apresentaram seus produtos e atividades desenvolvidas em suas comunidades. Esse momento possibilitou que os grupos compartilhassem experiências e discutissem desafios a serem enfrentados para efetivar o processo de incubação. Na parte da tarde, os grupos apresentaram suas dúvidas e receberam orientação sobre o processo de pré-incubação. Por fim, organizou-se juntamente com os grupos um calendário de visitas às comunidades que serão realizadas pelo Colegiado Gestor ainda no mês de maio. Grupos pré-incubados: ARÁ DUDU – Coletivo de arte e cultura negra; Associação Comunitária Remanescentes quilombolas e de Júlio Borges; Associação de catadores de materiais recicláveis Palmeira Verde; Associação quilombola Linha Fão; Coletivo de resistência artística periférica- CORAP; Comunidade de terreiro Ilê Axé Ossanha Agué; Grupo de agricultores orgânicos da região central- RS; Ketaju Tegtu & Guaviraty Porã; Marias Bonitas fazendo história; NÍVEL 8**- Mulheres na construção Civil.
Fonte pesquisada: http://w3.ufsm.br/pre/index.php/pagina-inicial1/noticias/392-encontro-de-abertura-da-pre-incubacao-da-incubadora-so

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Encontro de Abertura da Pré-Incubação da Incubadora Social

O Encontro de Abertura da Pré-Incubação reuniu o Colegiado Gestor da Incubadora Social da UFSM e os dez grupos selecionados para iniciar o período de pré-incubação. Um dos momentos mais importantes, no turno da manhã, foi a socialização dos grupos, que apresentaram seus produtos e atividades desenvolvidas em suas comunidades. Esse momento possibilitou que os grupos compartilhassem experiências e discutissem desafios a serem enfrentados para efetivar o processo de incubação. Na parte da tarde, os grupos apresentaram suas dúvidas e receberam orientação sobre o processo de pré-incubação. Por fim, organizou-se juntamente com os grupos um calendário de visitas às comunidades que serão realizadas pelo Colegiado Gestor ainda no mês de maio. Grupos pré-incubados: ARÁ DUDU – Coletivo de arte e cultura negra; Associação Comunitária Remanescentes quilombolas e de Júlio Borges; Associação de catadores de materiais recicláveis Palmeira Verde; Associação quilombola Linha Fão; Coletivo de resistência artística periférica- CORAP; Comunidade de terreiro Ilê Axé Ossanha Agué; Grupo de agricultores orgânicos da região central- RS; Ketaju Tegtu & Guaviraty Porã; Marias Bonitas fazendo história; NÍVEL 8**- Mulheres na construção Civil.
Fonte pesquisada: http://w3.ufsm.br/pre/index.php/pagina-inicial1/noticias/392-encontro-de-abertura-da-pre-incubacao-da-incubadora-so

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Encontro de Abertura da Pré-Incubação da Incubadora Social

O Encontro de Abertura da Pré-Incubação reuniu o Colegiado Gestor da Incubadora Social da UFSM e os dez grupos selecionados para iniciar o período de pré-incubação. Um dos momentos mais importantes, no turno da manhã, foi a socialização dos grupos, que apresentaram seus produtos e atividades desenvolvidas em suas comunidades. Esse momento possibilitou que os grupos compartilhassem experiências e discutissem desafios a serem enfrentados para efetivar o processo de incubação. Na parte da tarde, os grupos apresentaram suas dúvidas e receberam orientação sobre o processo de pré-incubação. Por fim, organizou-se juntamente com os grupos um calendário de visitas às comunidades que serão realizadas pelo Colegiado Gestor ainda no mês de maio. Grupos pré-incubados: ARÁ DUDU – Coletivo de arte e cultura negra; Associação Comunitária Remanescentes quilombolas e de Júlio Borges; Associação de catadores de materiais recicláveis Palmeira Verde; Associação quilombola Linha Fão; Coletivo de resistência artística periférica- CORAP; Comunidade de terreiro Ilê Axé Ossanha Agué; Grupo de agricultores orgânicos da região central- RS; Ketaju Tegtu & Guaviraty Porã; Marias Bonitas fazendo história; NÍVEL 8**- Mulheres na construção Civil.
Fonte pesquisada: http://w3.ufsm.br/pre/index.php/pagina-inicial1/noticias/392-encontro-de-abertura-da-pre-incubacao-da-incubadora-so

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Encontro de Abertura da Pré-Incubação da Incubadora Social

O Encontro de Abertura da Pré-Incubação reuniu o Colegiado Gestor da Incubadora Social da UFSM e os dez grupos selecionados para iniciar o período de pré-incubação. Um dos momentos mais importantes, no turno da manhã, foi a socialização dos grupos, que apresentaram seus produtos e atividades desenvolvidas em suas comunidades. Esse momento possibilitou que os grupos compartilhassem experiências e discutissem desafios a serem enfrentados para efetivar o processo de incubação. Na parte da tarde, os grupos apresentaram suas dúvidas e receberam orientação sobre o processo de pré-incubação. Por fim, organizou-se juntamente com os grupos um calendário de visitas às comunidades que serão realizadas pelo Colegiado Gestor ainda no mês de maio. Grupos pré-incubados: ARÁ DUDU – Coletivo de arte e cultura negra; Associação Comunitária Remanescentes quilombolas e de Júlio Borges; Associação de catadores de materiais recicláveis Palmeira Verde; Associação quilombola Linha Fão; Coletivo de resistência artística periférica- CORAP; Comunidade de terreiro Ilê Axé Ossanha Agué; Grupo de agricultores orgânicos da região central- RS; Ketaju Tegtu & Guaviraty Porã; Marias Bonitas fazendo história; NÍVEL 8**- Mulheres na construção Civil.
Fonte pesquisada: http://w3.ufsm.br/pre/index.php/pagina-inicial1/noticias/392-encontro-de-abertura-da-pre-incubacao-da-incubadora-so

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Encontro de Abertura da Pré-Incubação da Incubadora Social

O Encontro de Abertura da Pré-Incubação reuniu o Colegiado Gestor da Incubadora Social da UFSM e os dez grupos selecionados para iniciar o período de pré-incubação. Um dos momentos mais importantes, no turno da manhã, foi a socialização dos grupos, que apresentaram seus produtos e atividades desenvolvidas em suas comunidades. Esse momento possibilitou que os grupos compartilhassem experiências e discutissem desafios a serem enfrentados para efetivar o processo de incubação. Na parte da tarde, os grupos apresentaram suas dúvidas e receberam orientação sobre o processo de pré-incubação. Por fim, organizou-se juntamente com os grupos um calendário de visitas às comunidades que serão realizadas pelo Colegiado Gestor ainda no mês de maio. Grupos pré-incubados: ARÁ DUDU – Coletivo de arte e cultura negra; Associação Comunitária Remanescentes quilombolas e de Júlio Borges; Associação de catadores de materiais recicláveis Palmeira Verde; Associação quilombola Linha Fão; Coletivo de resistência artística periférica- CORAP; Comunidade de terreiro Ilê Axé Ossanha Agué; Grupo de agricultores orgânicos da região central- RS; Ketaju Tegtu & Guaviraty Porã; Marias Bonitas fazendo história; NÍVEL 8**- Mulheres na construção Civil.
Fonte pesquisada: http://w3.ufsm.br/pre/index.php/pagina-inicial1/noticias/392-encontro-de-abertura-da-pre-incubacao-da-incubadora-so

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Encontro de Abertura da Pré-Incubação da Incubadora Social

O Encontro de Abertura da Pré-Incubação reuniu o Colegiado Gestor da Incubadora Social da UFSM e os dez grupos selecionados para iniciar o período de pré-incubação. Um dos momentos mais importantes, no turno da manhã, foi a socialização dos grupos, que apresentaram seus produtos e atividades desenvolvidas em suas comunidades. Esse momento possibilitou que os grupos compartilhassem experiências e discutissem desafios a serem enfrentados para efetivar o processo de incubação. Na parte da tarde, os grupos apresentaram suas dúvidas e receberam orientação sobre o processo de pré-incubação. Por fim, organizou-se juntamente com os grupos um calendário de visitas às comunidades que serão realizadas pelo Colegiado Gestor ainda no mês de maio. Grupos pré-incubados: ARÁ DUDU – Coletivo de arte e cultura negra; Associação Comunitária Remanescentes quilombolas e de Júlio Borges; Associação de catadores de materiais recicláveis Palmeira Verde; Associação quilombola Linha Fão; Coletivo de resistência artística periférica- CORAP; Comunidade de terreiro Ilê Axé Ossanha Agué; Grupo de agricultores orgânicos da região central- RS; Ketaju Tegtu & Guaviraty Porã; Marias Bonitas fazendo história; NÍVEL 8**- Mulheres na construção Civil.
Fonte pesquisada: http://w3.ufsm.br/pre/index.php/pagina-inicial1/noticias/392-encontro-de-abertura-da-pre-incubacao-da-incubadora-so

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Fórum Regional Permanente de Extensão

O encontro, para discutirem de forma conjunta as demandas a ações prioritárias para a região onde está instalado o campus da Universidade, marcou o início dos eventos regionalizados do Fórum Permanente de Extensão, que vem sendo implantado na Universidade, por meio do projeto Desenvolva, conduzido pela Coordenadoria de Ações Regionais e Inovação, órgão ligado à Pró-Reitoria de Extensão (PRE), com o apoio do Escritório de Projetos EcoAGILE, do Colégio Técnico e Industrial da UFSM (CTISM). Após a abertura do Fórum, foram apresentados o diagnóstico dos projetos desenvolvidos pela UFSM e as demandas definidas durante encontros preliminares realizados em 2016. Em seguida, os participantes foram divididos em grupos de trabalho, conforme os oito eixos de atuação da extensão universitária: comunicação, educação, cultura, direitos humanos e justiça, tecnologia, trabalho, saúde e meio ambiente.
Fonte pesquisada: http://palmeira.ufsm.br/index.php/listar-noticias/1870-palmeira-das-missoes-sedia-forum-regional-permanente-de-extensao

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Fórum Regional Permanente de Extensão

O encontro, para discutirem de forma conjunta as demandas a ações prioritárias para a região onde está instalado o campus da Universidade, marcou o início dos eventos regionalizados do Fórum Permanente de Extensão, que vem sendo implantado na Universidade, por meio do projeto Desenvolva, conduzido pela Coordenadoria de Ações Regionais e Inovação, órgão ligado à Pró-Reitoria de Extensão (PRE), com o apoio do Escritório de Projetos EcoAGILE, do Colégio Técnico e Industrial da UFSM (CTISM). Após a abertura do Fórum, foram apresentados o diagnóstico dos projetos desenvolvidos pela UFSM e as demandas definidas durante encontros preliminares realizados em 2016. Em seguida, os participantes foram divididos em grupos de trabalho, conforme os oito eixos de atuação da extensão universitária: comunicação, educação, cultura, direitos humanos e justiça, tecnologia, trabalho, saúde e meio ambiente.
Fonte pesquisada: http://palmeira.ufsm.br/index.php/listar-noticias/1870-palmeira-das-missoes-sedia-forum-regional-permanente-de-extensao

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Fórum Regional Permanente de Extensão

O encontro, para discutirem de forma conjunta as demandas a ações prioritárias para a região onde está instalado o campus da Universidade, marcou o início dos eventos regionalizados do Fórum Permanente de Extensão, que vem sendo implantado na Universidade, por meio do projeto Desenvolva, conduzido pela Coordenadoria de Ações Regionais e Inovação, órgão ligado à Pró-Reitoria de Extensão (PRE), com o apoio do Escritório de Projetos EcoAGILE, do Colégio Técnico e Industrial da UFSM (CTISM). Após a abertura do Fórum, foram apresentados o diagnóstico dos projetos desenvolvidos pela UFSM e as demandas definidas durante encontros preliminares realizados em 2016. Em seguida, os participantes foram divididos em grupos de trabalho, conforme os oito eixos de atuação da extensão universitária: comunicação, educação, cultura, direitos humanos e justiça, tecnologia, trabalho, saúde e meio ambiente.
Fonte pesquisada: http://palmeira.ufsm.br/index.php/listar-noticias/1870-palmeira-das-missoes-sedia-forum-regional-permanente-de-extensao

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Fórum Regional Permanente de Extensão

O encontro, para discutirem de forma conjunta as demandas a ações prioritárias para a região onde está instalado o campus da Universidade, marcou o início dos eventos regionalizados do Fórum Permanente de Extensão, que vem sendo implantado na Universidade, por meio do projeto Desenvolva, conduzido pela Coordenadoria de Ações Regionais e Inovação, órgão ligado à Pró-Reitoria de Extensão (PRE), com o apoio do Escritório de Projetos EcoAGILE, do Colégio Técnico e Industrial da UFSM (CTISM). Após a abertura do Fórum, foram apresentados o diagnóstico dos projetos desenvolvidos pela UFSM e as demandas definidas durante encontros preliminares realizados em 2016. Em seguida, os participantes foram divididos em grupos de trabalho, conforme os oito eixos de atuação da extensão universitária: comunicação, educação, cultura, direitos humanos e justiça, tecnologia, trabalho, saúde e meio ambiente.
Fonte pesquisada: http://palmeira.ufsm.br/index.php/listar-noticias/1870-palmeira-das-missoes-sedia-forum-regional-permanente-de-extensao

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Reunião da Incubadora Social

Reuniram-se os representantes do colegiado gestor e os responsáveis institucionais indicados pelos dez grupos selecionados para o período de pré-incubação da Incubadora Social da UFSM.
Pauta: apresentação da Incubadora Social, orientações sobre o processo de pré-incubação, atribuições do responsável institucional; e adequação do plano de trabalho das propostas selecionadas.
Fonte pesquisada: http://w3.ufsm.br/pre/index.php/pagina-inicial1/noticias/393-reuniao-do-colegiado-gestor-e-representantes-institucionais-da-incubadora-social-da-ufsm

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

2º Fórum Regional de Extensão da UFSM

O evento é uma ação do projeto Desenvolva, que, no ano passado, iniciou os trabalhos de mapeamento e definição das demandas de prioridade em extensão. O objetivo é aproximar a sociedade da comunidade acadêmica. O fórum ocorre em cidades que têm campus da UFSM. A primeira edição ocorreu em Palmeira das Missões. A proposta do fórum de extensão reconhece as especificidades de cada campus com o intuito de discutir uma política macro da Universidade que contemple a integração regional.
Fonte pesquisada: http://site.ufsm.br/noticias/exibir/frederico-westphalen-recebe-2-forum-regional-de-ex

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

2º Fórum Regional de Extensão da UFSM

O evento é uma ação do projeto Desenvolva, que, no ano passado, iniciou os trabalhos de mapeamento e definição das demandas de prioridade em extensão. O objetivo é aproximar a sociedade da comunidade acadêmica. O fórum ocorre em cidades que têm campus da UFSM. A primeira edição ocorreu em Palmeira das Missões. A proposta do fórum de extensão reconhece as especificidades de cada campus com o intuito de discutir uma política macro da Universidade que contemple a integração regional.
Fonte pesquisada: http://site.ufsm.br/noticias/exibir/frederico-westphalen-recebe-2-forum-regional-de-ex

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

2º Fórum Regional de Extensão da UFSM

O evento é uma ação do projeto Desenvolva, que, no ano passado, iniciou os trabalhos de mapeamento e definição das demandas de prioridade em extensão. O objetivo é aproximar a sociedade da comunidade acadêmica. O fórum ocorre em cidades que têm campus da UFSM. A primeira edição ocorreu em Palmeira das Missões. A proposta do fórum de extensão reconhece as especificidades de cada campus com o intuito de discutir uma política macro da Universidade que contemple a integração regional.
Fonte pesquisada: http://site.ufsm.br/noticias/exibir/frederico-westphalen-recebe-2-forum-regional-de-ex

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

2º Fórum Regional de Extensão da UFSM

O evento é uma ação do projeto Desenvolva, que, no ano passado, iniciou os trabalhos de mapeamento e definição das demandas de prioridade em extensão. O objetivo é aproximar a sociedade da comunidade acadêmica. O fórum ocorre em cidades que têm campus da UFSM. A primeira edição ocorreu em Palmeira das Missões. A proposta do fórum de extensão reconhece as especificidades de cada campus com o intuito de discutir uma política macro da Universidade que contemple a integração regional.
Fonte pesquisada: http://site.ufsm.br/noticias/exibir/frederico-westphalen-recebe-2-forum-regional-de-ex

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

2º Fórum Regional de Extensão da UFSM

O evento é uma ação do projeto Desenvolva, que, no ano passado, iniciou os trabalhos de mapeamento e definição das demandas de prioridade em extensão. O objetivo é aproximar a sociedade da comunidade acadêmica. O fórum ocorre em cidades que têm campus da UFSM. A primeira edição ocorreu em Palmeira das Missões. A proposta do fórum de extensão reconhece as especificidades de cada campus com o intuito de discutir uma política macro da Universidade que contemple a integração regional.
Fonte pesquisada: http://site.ufsm.br/noticias/exibir/frederico-westphalen-recebe-2-forum-regional-de-ex

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

2º Fórum Regional de Extensão da UFSM

O evento é uma ação do projeto Desenvolva, que, no ano passado, iniciou os trabalhos de mapeamento e definição das demandas de prioridade em extensão. O objetivo é aproximar a sociedade da comunidade acadêmica. O fórum ocorre em cidades que têm campus da UFSM. A primeira edição ocorreu em Palmeira das Missões. A proposta do fórum de extensão reconhece as especificidades de cada campus com o intuito de discutir uma política macro da Universidade que contemple a integração regional.
Fonte pesquisada: http://site.ufsm.br/noticias/exibir/frederico-westphalen-recebe-2-forum-regional-de-ex

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

2º Fórum Regional de Extensão da UFSM

O evento é uma ação do projeto Desenvolva, que, no ano passado, iniciou os trabalhos de mapeamento e definição das demandas de prioridade em extensão. O objetivo é aproximar a sociedade da comunidade acadêmica. O fórum ocorre em cidades que têm campus da UFSM. A primeira edição ocorreu em Palmeira das Missões. A proposta do fórum de extensão reconhece as especificidades de cada campus com o intuito de discutir uma política macro da Universidade que contemple a integração regional.
Fonte pesquisada: http://site.ufsm.br/noticias/exibir/frederico-westphalen-recebe-2-forum-regional-de-ex

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

2º Fórum Regional de Extensão da UFSM

O evento é uma ação do projeto Desenvolva, que, no ano passado, iniciou os trabalhos de mapeamento e definição das demandas de prioridade em extensão. O objetivo é aproximar a sociedade da comunidade acadêmica. O fórum ocorre em cidades que têm campus da UFSM. A primeira edição ocorreu em Palmeira das Missões. A proposta do fórum de extensão reconhece as especificidades de cada campus com o intuito de discutir uma política macro da Universidade que contemple a integração regional.
Fonte pesquisada: http://site.ufsm.br/noticias/exibir/frederico-westphalen-recebe-2-forum-regional-de-ex

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

2º Fórum Regional de Extensão da UFSM

O evento é uma ação do projeto Desenvolva, que, no ano passado, iniciou os trabalhos de mapeamento e definição das demandas de prioridade em extensão. O objetivo é aproximar a sociedade da comunidade acadêmica. O fórum ocorre em cidades que têm campus da UFSM. A primeira edição ocorreu em Palmeira das Missões. A proposta do fórum de extensão reconhece as especificidades de cada campus com o intuito de discutir uma política macro da Universidade que contemple a integração regional.
Fonte pesquisada: http://site.ufsm.br/noticias/exibir/frederico-westphalen-recebe-2-forum-regional-de-ex

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

2º Fórum Regional de Extensão da UFSM

O evento é uma ação do projeto Desenvolva, que, no ano passado, iniciou os trabalhos de mapeamento e definição das demandas de prioridade em extensão. O objetivo é aproximar a sociedade da comunidade acadêmica. O fórum ocorre em cidades que têm campus da UFSM. A primeira edição ocorreu em Palmeira das Missões. A proposta do fórum de extensão reconhece as especificidades de cada campus com o intuito de discutir uma política macro da Universidade que contemple a integração regional.
Fonte pesquisada: http://site.ufsm.br/noticias/exibir/frederico-westphalen-recebe-2-forum-regional-de-ex

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

2º Fórum Regional de Extensão da UFSM

O evento é uma ação do projeto Desenvolva, que, no ano passado, iniciou os trabalhos de mapeamento e definição das demandas de prioridade em extensão. O objetivo é aproximar a sociedade da comunidade acadêmica. O fórum ocorre em cidades que têm campus da UFSM. A primeira edição ocorreu em Palmeira das Missões. A proposta do fórum de extensão reconhece as especificidades de cada campus com o intuito de discutir uma política macro da Universidade que contemple a integração regional.
Fonte pesquisada: http://site.ufsm.br/noticias/exibir/frederico-westphalen-recebe-2-forum-regional-de-ex

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

2º Fórum Regional de Extensão da UFSM

O evento é uma ação do projeto Desenvolva, que, no ano passado, iniciou os trabalhos de mapeamento e definição das demandas de prioridade em extensão. O objetivo é aproximar a sociedade da comunidade acadêmica. O fórum ocorre em cidades que têm campus da UFSM. A primeira edição ocorreu em Palmeira das Missões. A proposta do fórum de extensão reconhece as especificidades de cada campus com o intuito de discutir uma política macro da Universidade que contemple a integração regional.
Fonte pesquisada: http://site.ufsm.br/noticias/exibir/frederico-westphalen-recebe-2-forum-regional-de-ex

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Resultados 1 a 50 de 140