Previsualizar a impressão Fechar

Mostrar 295 resultados

Descrição arquivística
Konzen, Melissa Taís, 1998/
Previsualizar a impressão Ver:

295 resultados com objetos digitais Mostrar resultados com objetos digitais

Campanha do Agasalho 2018

Fotografia de Melissa Konzen.
Desde 18 de junho a UFSM está mobilizada na Campanha do Agasalho. Já foram mais de 700 doações recebidas, que serão destinadas a várias instituições.
Para a Casa Maria: Os agasalhos destinados a esta entidade serão doados aos pacientes e usuários da Casa Maria. Caso sobrem, serão comercializados em um brechó e a renda será revertida em medicamentos e suplementos alimentares.
Para a Associação de Apoio a Pessoas com Câncer (Aapecan): As roupas destinadas à Aapecan serão fornecidas aos usuários e as demais destinadas ao Brechó Solidário, realizado duas vezes ao mês.
Para a Associação Leon Denis: Os agasalhos destinados ao Leon Denis serão vendidos no brechó, que acontece diariamente na sede da instituição, e revertidos em verbas para o funcionamento do abrigo.
Para o HUSM – Campanha Bebê Quentinho: As roupas infantis serão destinadas à campanha Bebê Quentinho, realizada por servidores da Unidade de Internação da Pediatria e das UTIs neonatal e pediátrica do HUSM. Bebês que nascem e não possuem enxoval, ou então crianças que irão receber alta e precisam de roupas serão beneficiados. As roupas e calçados arrecadados são organizados em um armário dentro do Hospital, onde as mães, acompanhadas por uma servidora, escolhem as vestimentas mais adequadas, conforme o tamanho do bebê ou da criança.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Campanha do Agasalho 2018

Fotografia de Melissa Konzen.
Desde 18 de junho a UFSM está mobilizada na Campanha do Agasalho. Já foram mais de 700 doações recebidas, que serão destinadas a várias instituições.
Para a Casa Maria: Os agasalhos destinados a esta entidade serão doados aos pacientes e usuários da Casa Maria. Caso sobrem, serão comercializados em um brechó e a renda será revertida em medicamentos e suplementos alimentares.
Para a Associação de Apoio a Pessoas com Câncer (Aapecan): As roupas destinadas à Aapecan serão fornecidas aos usuários e as demais destinadas ao Brechó Solidário, realizado duas vezes ao mês.
Para a Associação Leon Denis: Os agasalhos destinados ao Leon Denis serão vendidos no brechó, que acontece diariamente na sede da instituição, e revertidos em verbas para o funcionamento do abrigo.
Para o HUSM – Campanha Bebê Quentinho: As roupas infantis serão destinadas à campanha Bebê Quentinho, realizada por servidores da Unidade de Internação da Pediatria e das UTIs neonatal e pediátrica do HUSM. Bebês que nascem e não possuem enxoval, ou então crianças que irão receber alta e precisam de roupas serão beneficiados. As roupas e calçados arrecadados são organizados em um armário dentro do Hospital, onde as mães, acompanhadas por uma servidora, escolhem as vestimentas mais adequadas, conforme o tamanho do bebê ou da criança.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Campanha do Agasalho 2018

Fotografia de Melissa Konzen.
Desde 18 de junho a UFSM está mobilizada na Campanha do Agasalho. Já foram mais de 700 doações recebidas, que serão destinadas a várias instituições.
Para a Casa Maria: Os agasalhos destinados a esta entidade serão doados aos pacientes e usuários da Casa Maria. Caso sobrem, serão comercializados em um brechó e a renda será revertida em medicamentos e suplementos alimentares.
Para a Associação de Apoio a Pessoas com Câncer (Aapecan): As roupas destinadas à Aapecan serão fornecidas aos usuários e as demais destinadas ao Brechó Solidário, realizado duas vezes ao mês.
Para a Associação Leon Denis: Os agasalhos destinados ao Leon Denis serão vendidos no brechó, que acontece diariamente na sede da instituição, e revertidos em verbas para o funcionamento do abrigo.
Para o HUSM – Campanha Bebê Quentinho: As roupas infantis serão destinadas à campanha Bebê Quentinho, realizada por servidores da Unidade de Internação da Pediatria e das UTIs neonatal e pediátrica do HUSM. Bebês que nascem e não possuem enxoval, ou então crianças que irão receber alta e precisam de roupas serão beneficiados. As roupas e calçados arrecadados são organizados em um armário dentro do Hospital, onde as mães, acompanhadas por uma servidora, escolhem as vestimentas mais adequadas, conforme o tamanho do bebê ou da criança.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Campanha do Agasalho 2018

Fotografia de Melissa Konzen.
Desde 18 de junho a UFSM está mobilizada na Campanha do Agasalho. Já foram mais de 700 doações recebidas, que serão destinadas a várias instituições.
Para a Casa Maria: Os agasalhos destinados a esta entidade serão doados aos pacientes e usuários da Casa Maria. Caso sobrem, serão comercializados em um brechó e a renda será revertida em medicamentos e suplementos alimentares.
Para a Associação de Apoio a Pessoas com Câncer (Aapecan): As roupas destinadas à Aapecan serão fornecidas aos usuários e as demais destinadas ao Brechó Solidário, realizado duas vezes ao mês.
Para a Associação Leon Denis: Os agasalhos destinados ao Leon Denis serão vendidos no brechó, que acontece diariamente na sede da instituição, e revertidos em verbas para o funcionamento do abrigo.
Para o HUSM – Campanha Bebê Quentinho: As roupas infantis serão destinadas à campanha Bebê Quentinho, realizada por servidores da Unidade de Internação da Pediatria e das UTIs neonatal e pediátrica do HUSM. Bebês que nascem e não possuem enxoval, ou então crianças que irão receber alta e precisam de roupas serão beneficiados. As roupas e calçados arrecadados são organizados em um armário dentro do Hospital, onde as mães, acompanhadas por uma servidora, escolhem as vestimentas mais adequadas, conforme o tamanho do bebê ou da criança.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Campanha do Agasalho 2018

Fotografia de Melissa Konzen.
Desde 18 de junho a UFSM está mobilizada na Campanha do Agasalho. Já foram mais de 700 doações recebidas, que serão destinadas a várias instituições.
Para a Casa Maria: Os agasalhos destinados a esta entidade serão doados aos pacientes e usuários da Casa Maria. Caso sobrem, serão comercializados em um brechó e a renda será revertida em medicamentos e suplementos alimentares.
Para a Associação de Apoio a Pessoas com Câncer (Aapecan): As roupas destinadas à Aapecan serão fornecidas aos usuários e as demais destinadas ao Brechó Solidário, realizado duas vezes ao mês.
Para a Associação Leon Denis: Os agasalhos destinados ao Leon Denis serão vendidos no brechó, que acontece diariamente na sede da instituição, e revertidos em verbas para o funcionamento do abrigo.
Para o HUSM – Campanha Bebê Quentinho: As roupas infantis serão destinadas à campanha Bebê Quentinho, realizada por servidores da Unidade de Internação da Pediatria e das UTIs neonatal e pediátrica do HUSM. Bebês que nascem e não possuem enxoval, ou então crianças que irão receber alta e precisam de roupas serão beneficiados. As roupas e calçados arrecadados são organizados em um armário dentro do Hospital, onde as mães, acompanhadas por uma servidora, escolhem as vestimentas mais adequadas, conforme o tamanho do bebê ou da criança.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Campanha do Agasalho 2018

Fotografia de Melissa Konzen.
Desde 18 de junho a UFSM está mobilizada na Campanha do Agasalho. Já foram mais de 700 doações recebidas, que serão destinadas a várias instituições.
Para a Casa Maria: Os agasalhos destinados a esta entidade serão doados aos pacientes e usuários da Casa Maria. Caso sobrem, serão comercializados em um brechó e a renda será revertida em medicamentos e suplementos alimentares.
Para a Associação de Apoio a Pessoas com Câncer (Aapecan): As roupas destinadas à Aapecan serão fornecidas aos usuários e as demais destinadas ao Brechó Solidário, realizado duas vezes ao mês.
Para a Associação Leon Denis: Os agasalhos destinados ao Leon Denis serão vendidos no brechó, que acontece diariamente na sede da instituição, e revertidos em verbas para o funcionamento do abrigo.
Para o HUSM – Campanha Bebê Quentinho: As roupas infantis serão destinadas à campanha Bebê Quentinho, realizada por servidores da Unidade de Internação da Pediatria e das UTIs neonatal e pediátrica do HUSM. Bebês que nascem e não possuem enxoval, ou então crianças que irão receber alta e precisam de roupas serão beneficiados. As roupas e calçados arrecadados são organizados em um armário dentro do Hospital, onde as mães, acompanhadas por uma servidora, escolhem as vestimentas mais adequadas, conforme o tamanho do bebê ou da criança.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Campanha do Agasalho 2018

Fotografia de Melissa Konzen.
Desde 18 de junho a UFSM está mobilizada na Campanha do Agasalho. Já foram mais de 700 doações recebidas, que serão destinadas a várias instituições.
Para a Casa Maria: Os agasalhos destinados a esta entidade serão doados aos pacientes e usuários da Casa Maria. Caso sobrem, serão comercializados em um brechó e a renda será revertida em medicamentos e suplementos alimentares.
Para a Associação de Apoio a Pessoas com Câncer (Aapecan): As roupas destinadas à Aapecan serão fornecidas aos usuários e as demais destinadas ao Brechó Solidário, realizado duas vezes ao mês.
Para a Associação Leon Denis: Os agasalhos destinados ao Leon Denis serão vendidos no brechó, que acontece diariamente na sede da instituição, e revertidos em verbas para o funcionamento do abrigo.
Para o HUSM – Campanha Bebê Quentinho: As roupas infantis serão destinadas à campanha Bebê Quentinho, realizada por servidores da Unidade de Internação da Pediatria e das UTIs neonatal e pediátrica do HUSM. Bebês que nascem e não possuem enxoval, ou então crianças que irão receber alta e precisam de roupas serão beneficiados. As roupas e calçados arrecadados são organizados em um armário dentro do Hospital, onde as mães, acompanhadas por uma servidora, escolhem as vestimentas mais adequadas, conforme o tamanho do bebê ou da criança.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Campanha do Agasalho 2018

Fotografia de Melissa Konzen.
Desde 18 de junho a UFSM está mobilizada na Campanha do Agasalho. Já foram mais de 700 doações recebidas, que serão destinadas a várias instituições.
Para a Casa Maria: Os agasalhos destinados a esta entidade serão doados aos pacientes e usuários da Casa Maria. Caso sobrem, serão comercializados em um brechó e a renda será revertida em medicamentos e suplementos alimentares.
Para a Associação de Apoio a Pessoas com Câncer (Aapecan): As roupas destinadas à Aapecan serão fornecidas aos usuários e as demais destinadas ao Brechó Solidário, realizado duas vezes ao mês.
Para a Associação Leon Denis: Os agasalhos destinados ao Leon Denis serão vendidos no brechó, que acontece diariamente na sede da instituição, e revertidos em verbas para o funcionamento do abrigo.
Para o HUSM – Campanha Bebê Quentinho: As roupas infantis serão destinadas à campanha Bebê Quentinho, realizada por servidores da Unidade de Internação da Pediatria e das UTIs neonatal e pediátrica do HUSM. Bebês que nascem e não possuem enxoval, ou então crianças que irão receber alta e precisam de roupas serão beneficiados. As roupas e calçados arrecadados são organizados em um armário dentro do Hospital, onde as mães, acompanhadas por uma servidora, escolhem as vestimentas mais adequadas, conforme o tamanho do bebê ou da criança.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Campanha do Agasalho 2018

Fotografia de Melissa Konzen.
Desde 18 de junho a UFSM está mobilizada na Campanha do Agasalho. Já foram mais de 700 doações recebidas, que serão destinadas a várias instituições.
Para a Casa Maria: Os agasalhos destinados a esta entidade serão doados aos pacientes e usuários da Casa Maria. Caso sobrem, serão comercializados em um brechó e a renda será revertida em medicamentos e suplementos alimentares.
Para a Associação de Apoio a Pessoas com Câncer (Aapecan): As roupas destinadas à Aapecan serão fornecidas aos usuários e as demais destinadas ao Brechó Solidário, realizado duas vezes ao mês.
Para a Associação Leon Denis: Os agasalhos destinados ao Leon Denis serão vendidos no brechó, que acontece diariamente na sede da instituição, e revertidos em verbas para o funcionamento do abrigo.
Para o HUSM – Campanha Bebê Quentinho: As roupas infantis serão destinadas à campanha Bebê Quentinho, realizada por servidores da Unidade de Internação da Pediatria e das UTIs neonatal e pediátrica do HUSM. Bebês que nascem e não possuem enxoval, ou então crianças que irão receber alta e precisam de roupas serão beneficiados. As roupas e calçados arrecadados são organizados em um armário dentro do Hospital, onde as mães, acompanhadas por uma servidora, escolhem as vestimentas mais adequadas, conforme o tamanho do bebê ou da criança.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Campanha do Agasalho 2018

Fotografia de Melissa Konzen.
Desde 18 de junho a UFSM está mobilizada na Campanha do Agasalho. Já foram mais de 700 doações recebidas, que serão destinadas a várias instituições.
Para a Casa Maria: Os agasalhos destinados a esta entidade serão doados aos pacientes e usuários da Casa Maria. Caso sobrem, serão comercializados em um brechó e a renda será revertida em medicamentos e suplementos alimentares.
Para a Associação de Apoio a Pessoas com Câncer (Aapecan): As roupas destinadas à Aapecan serão fornecidas aos usuários e as demais destinadas ao Brechó Solidário, realizado duas vezes ao mês.
Para a Associação Leon Denis: Os agasalhos destinados ao Leon Denis serão vendidos no brechó, que acontece diariamente na sede da instituição, e revertidos em verbas para o funcionamento do abrigo.
Para o HUSM – Campanha Bebê Quentinho: As roupas infantis serão destinadas à campanha Bebê Quentinho, realizada por servidores da Unidade de Internação da Pediatria e das UTIs neonatal e pediátrica do HUSM. Bebês que nascem e não possuem enxoval, ou então crianças que irão receber alta e precisam de roupas serão beneficiados. As roupas e calçados arrecadados são organizados em um armário dentro do Hospital, onde as mães, acompanhadas por uma servidora, escolhem as vestimentas mais adequadas, conforme o tamanho do bebê ou da criança.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Seminário Cultura Indígena e Universidade, I

Fotografia de Laura Coelho de Almeida
O evento ocorreu de 06 a 07 de junho.
Programação:
Dia 6 de junho
14h - Apresentação artística
14h20 - Painel de Abertura e Falas Institucionais - Paulo Afonso Burmann (Reitor UFSM), Vera Vianna (PRE/UFSM), Clayton Hillig (PRAE/UFSM), Jerônimo Tybusch (PROGRAD/UFSM), Sílvia Pavão (CAED), André Soares (PET Indígena UFSM), Natanael Claudino (Presidente da Comissão Indígena UFSM), Larissa Emilie Paulo (PET Indígena UFSM)
15h - Painel I - Cultura Indígena - Vherá Poty, Danilo Christidis, Otávio Catafesto, Joceli Sales (PET Indígena UFSM), Dara Ramires Lemes (PET Indígena UFSM)
Dia 7 de junho
14h - Painel II - Políticas de Acesso e Permanência de Indígenas na UFSM - Jerônimo Tybusch (PROGRAD/UFSM), Clayton Hillig (PRAE/UFSM), Representação (PRE/Incubadora Social/UFSM), Rosane Brum Mello (CAED/UFSM), Jafé Ribeiro Bento (PET Indígena UFSM),
15h - Painel III - Cultura Indígena e Universidade - Roda de Conversa - Estudantes Indígenas da UFSM

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

"Golpe de 2016 e o futuro da democracia no Brasil" – curso

Fotografia de Melissa Táis Konzen.
Evento realizado de 05 maio a 07 de julho.
Programação:
05/05 - Golpes de Estado no Brasil Republicano: o golpe de 2016 em um contexto histórico, político e constitucional
Ministrantes: Diorge Konrad, José Carlos Martines Belieiro Júnior, Márcio de Souza Bernardes
Coordenação da mesa: Maria Beatriz Oliveira da Silva
12/05 - A onda conservadora e o ressentimento de classe
Ministrantes: Ricardo Mayer, Janaína Xavier do Nascimento
26/05 - Corrupção, mal e democracia
Ministrantes: Juliana Oliveira Missaggia, José Lourenço P. da Silva e Vilmar Debona
Coordenação da mesa: Rosana Pinheiro-Machado
09/06 - SUS: ameaças e retrocessos nas políticas públicas de saúde
Ministrantes: Teresinha Weiler, Liane Rigue e Sueli Barrios
Coordenação da mesa: Maria Celeste Landerdahl
16/06 - O caráter misógino e branco do golpe: retrocessos no campo das políticas públicas para as mulheres, e as populações negra e LGBTTQI
Ministrantes: Laura Fonseca, Laura Cortes, Maria Celeste Landerdahl
Coordenação da mesa: Nikelen Witter
23/06 - A reforma do Ensino Médio e seus impactos nas políticas públicas pós-Golpe
Ministrantes: Cláudia Cisianne, Elizete Tomazete, Ascísio Pereira.
30/06 - O golpe na agricultura familiar e na reforma agrária
Ministrantes: Marcos Piccin, Everton Picolotto e Alisson Zarnot
07/07 - O golpe de 2016 e os retrocessos nos direitos individuais, sociais e difusos: criminalização, reformas trabalhista e previdenciária e riscos ao meio ambiente
Ministrantes: Waleska Cardoso, Marília de Nardin Budó e Márcio Brum

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

"Golpe de 2016 e o futuro da democracia no Brasil" – curso

Fotografia de Melissa Táis Konzen.
Evento realizado de 05 maio a 07 de julho.
Programação:
05/05 - Golpes de Estado no Brasil Republicano: o golpe de 2016 em um contexto histórico, político e constitucional
Ministrantes: Diorge Konrad, José Carlos Martines Belieiro Júnior, Márcio de Souza Bernardes
Coordenação da mesa: Maria Beatriz Oliveira da Silva
12/05 - A onda conservadora e o ressentimento de classe
Ministrantes: Ricardo Mayer, Janaína Xavier do Nascimento
26/05 - Corrupção, mal e democracia
Ministrantes: Juliana Oliveira Missaggia, José Lourenço P. da Silva e Vilmar Debona
Coordenação da mesa: Rosana Pinheiro-Machado
09/06 - SUS: ameaças e retrocessos nas políticas públicas de saúde
Ministrantes: Teresinha Weiler, Liane Rigue e Sueli Barrios
Coordenação da mesa: Maria Celeste Landerdahl
16/06 - O caráter misógino e branco do golpe: retrocessos no campo das políticas públicas para as mulheres, e as populações negra e LGBTTQI
Ministrantes: Laura Fonseca, Laura Cortes, Maria Celeste Landerdahl
Coordenação da mesa: Nikelen Witter
23/06 - A reforma do Ensino Médio e seus impactos nas políticas públicas pós-Golpe
Ministrantes: Cláudia Cisianne, Elizete Tomazete, Ascísio Pereira.
30/06 - O golpe na agricultura familiar e na reforma agrária
Ministrantes: Marcos Piccin, Everton Picolotto e Alisson Zarnot
07/07 - O golpe de 2016 e os retrocessos nos direitos individuais, sociais e difusos: criminalização, reformas trabalhista e previdenciária e riscos ao meio ambiente
Ministrantes: Waleska Cardoso, Marília de Nardin Budó e Márcio Brum

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

"Golpe de 2016 e o futuro da democracia no Brasil" – curso

Fotografia de Melissa Táis Konzen.
Evento realizado de 05 maio a 07 de julho.
Programação:
05/05 - Golpes de Estado no Brasil Republicano: o golpe de 2016 em um contexto histórico, político e constitucional
Ministrantes: Diorge Konrad, José Carlos Martines Belieiro Júnior, Márcio de Souza Bernardes
Coordenação da mesa: Maria Beatriz Oliveira da Silva
12/05 - A onda conservadora e o ressentimento de classe
Ministrantes: Ricardo Mayer, Janaína Xavier do Nascimento
26/05 - Corrupção, mal e democracia
Ministrantes: Juliana Oliveira Missaggia, José Lourenço P. da Silva e Vilmar Debona
Coordenação da mesa: Rosana Pinheiro-Machado
09/06 - SUS: ameaças e retrocessos nas políticas públicas de saúde
Ministrantes: Teresinha Weiler, Liane Rigue e Sueli Barrios
Coordenação da mesa: Maria Celeste Landerdahl
16/06 - O caráter misógino e branco do golpe: retrocessos no campo das políticas públicas para as mulheres, e as populações negra e LGBTTQI
Ministrantes: Laura Fonseca, Laura Cortes, Maria Celeste Landerdahl
Coordenação da mesa: Nikelen Witter
23/06 - A reforma do Ensino Médio e seus impactos nas políticas públicas pós-Golpe
Ministrantes: Cláudia Cisianne, Elizete Tomazete, Ascísio Pereira.
30/06 - O golpe na agricultura familiar e na reforma agrária
Ministrantes: Marcos Piccin, Everton Picolotto e Alisson Zarnot
07/07 - O golpe de 2016 e os retrocessos nos direitos individuais, sociais e difusos: criminalização, reformas trabalhista e previdenciária e riscos ao meio ambiente
Ministrantes: Waleska Cardoso, Marília de Nardin Budó e Márcio Brum

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

"Golpe de 2016 e o futuro da democracia no Brasil" – curso

Fotografia de Melissa Taís Konzen.
Evento realizado de 05 maio a 07 de julho.
Programação:
05/05 - Golpes de Estado no Brasil Republicano: o golpe de 2016 em um contexto histórico, político e constitucional
Ministrantes: Diorge Konrad, José Carlos Martines Belieiro Júnior, Márcio de Souza Bernardes
Coordenação da mesa: Maria Beatriz Oliveira da Silva
12/05 - A onda conservadora e o ressentimento de classe
Ministrantes: Ricardo Mayer, Janaína Xavier do Nascimento
26/05 - Corrupção, mal e democracia
Ministrantes: Juliana Oliveira Missaggia, José Lourenço P. da Silva e Vilmar Debona
Coordenação da mesa: Rosana Pinheiro-Machado
09/06 - SUS: ameaças e retrocessos nas políticas públicas de saúde
Ministrantes: Teresinha Weiler, Liane Rigue e Sueli Barrios
Coordenação da mesa: Maria Celeste Landerdahl
16/06 - O caráter misógino e branco do golpe: retrocessos no campo das políticas públicas para as mulheres, e as populações negra e LGBTTQI
Ministrantes: Laura Fonseca, Laura Cortes, Maria Celeste Landerdahl
Coordenação da mesa: Nikelen Witter
23/06 - A reforma do Ensino Médio e seus impactos nas políticas públicas pós-Golpe
Ministrantes: Cláudia Cisianne, Elizete Tomazete, Ascísio Pereira.
30/06 - O golpe na agricultura familiar e na reforma agrária
Ministrantes: Marcos Piccin, Everton Picolotto e Alisson Zarnot
07/07 - O golpe de 2016 e os retrocessos nos direitos individuais, sociais e difusos: criminalização, reformas trabalhista e previdenciária e riscos ao meio ambiente
Ministrantes: Waleska Cardoso, Marília de Nardin Budó e Márcio Brum

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Polifeira do Agricultor – aniversário de 1 ano

Fotografia de João Ricardo Gazzaneo Schmitt.
A Polifeira do Agricultor é um projeto de extensão do Colégio Politécnico, promovido em parceria com a Prefeitura de Santa Maria. Tem por objetivo oferecer ao público consumidor uma alternativa saudável e acessível de alimentos.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Dia Internacional Contra a Discriminação Racial

Fotografia de Melissa Taís Konzen.
A eliminação do racismo é uma luta cotidiana e, para reforçá-la, a ONU estabeleceu o dia 21 de março como Dia Internacional Contra a Discriminação Racial. Na UFSM, a data foi marcada pela abertura do evento “Negras e Negros na Cultura, na Ciência e nos Movimentos Sociais”, organizado pela Associação Ará Dudu e Pondá Assessoria.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Dia Internacional Contra a Discriminação Racial

Fotografia de Melissa Taís Konzen.
A eliminação do racismo é uma luta cotidiana e, para reforçá-la, a ONU estabeleceu o dia 21 de março como Dia Internacional Contra a Discriminação Racial. Na UFSM, a data foi marcada pela abertura do evento “Negras e Negros na Cultura, na Ciência e nos Movimentos Sociais”, organizado pela Associação Ará Dudu e Pondá Assessoria.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Dia Internacional Contra a Discriminação Racial

Fotografia de Melissa Taís Konzen.
A eliminação do racismo é uma luta cotidiana e, para reforçá-la, a ONU estabeleceu o dia 21 de março como Dia Internacional Contra a Discriminação Racial. Na UFSM, a data foi marcada pela abertura do evento “Negras e Negros na Cultura, na Ciência e nos Movimentos Sociais”, organizado pela Associação Ará Dudu e Pondá Assessoria.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Dia Internacional Contra a Discriminação Racial

Fotografia de Melissa Taís Konzen.
A eliminação do racismo é uma luta cotidiana e, para reforçá-la, a ONU estabeleceu o dia 21 de março como Dia Internacional Contra a Discriminação Racial. Na UFSM, a data foi marcada pela abertura do evento “Negras e Negros na Cultura, na Ciência e nos Movimentos Sociais”, organizado pela Associação Ará Dudu e Pondá Assessoria.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Dia Internacional Contra a Discriminação Racial

Fotografia de Melissa Taís Konzen.
A eliminação do racismo é uma luta cotidiana e, para reforçá-la, a ONU estabeleceu o dia 21 de março como Dia Internacional Contra a Discriminação Racial. Na UFSM, a data foi marcada pela abertura do evento “Negras e Negros na Cultura, na Ciência e nos Movimentos Sociais”, organizado pela Associação Ará Dudu e Pondá Assessoria.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Dia Internacional Contra a Discriminação Racial

Fotografia de Melissa Taís Konzen.
A eliminação do racismo é uma luta cotidiana e, para reforçá-la, a ONU estabeleceu o dia 21 de março como Dia Internacional Contra a Discriminação Racial. Na UFSM, a data foi marcada pela abertura do evento “Negras e Negros na Cultura, na Ciência e nos Movimentos Sociais”, organizado pela Associação Ará Dudu e Pondá Assessoria.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Dia Internacional Contra a Discriminação Racial

Fotografia de Melissa Taís Konzen.
A eliminação do racismo é uma luta cotidiana e, para reforçá-la, a ONU estabeleceu o dia 21 de março como Dia Internacional Contra a Discriminação Racial. Na UFSM, a data foi marcada pela abertura do evento “Negras e Negros na Cultura, na Ciência e nos Movimentos Sociais”, organizado pela Associação Ará Dudu e Pondá Assessoria.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Dia Internacional Contra a Discriminação Racial

Fotografia de Melissa Taís Konzen.
A eliminação do racismo é uma luta cotidiana e, para reforçá-la, a ONU estabeleceu o dia 21 de março como Dia Internacional Contra a Discriminação Racial. Na UFSM, a data foi marcada pela abertura do evento “Negras e Negros na Cultura, na Ciência e nos Movimentos Sociais”, organizado pela Associação Ará Dudu e Pondá Assessoria.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Dia Internacional Contra a Discriminação Racial

Fotografia de Melissa Taís Konzen.
A eliminação do racismo é uma luta cotidiana e, para reforçá-la, a ONU estabeleceu o dia 21 de março como Dia Internacional Contra a Discriminação Racial. Na UFSM, a data foi marcada pela abertura do evento “Negras e Negros na Cultura, na Ciência e nos Movimentos Sociais”, organizado pela Associação Ará Dudu e Pondá Assessoria.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Dia Internacional Contra a Discriminação Racial

Fotografia de Melissa Taís Konzen.
A eliminação do racismo é uma luta cotidiana e, para reforçá-la, a ONU estabeleceu o dia 21 de março como Dia Internacional Contra a Discriminação Racial. Na UFSM, a data foi marcada pela abertura do evento “Negras e Negros na Cultura, na Ciência e nos Movimentos Sociais”, organizado pela Associação Ará Dudu e Pondá Assessoria.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Dia Internacional Contra a Discriminação Racial

Fotografia de Melissa Taís Konzen.
A eliminação do racismo é uma luta cotidiana e, para reforçá-la, a ONU estabeleceu o dia 21 de março como Dia Internacional Contra a Discriminação Racial. Na UFSM, a data foi marcada pela abertura do evento “Negras e Negros na Cultura, na Ciência e nos Movimentos Sociais”, organizado pela Associação Ará Dudu e Pondá Assessoria.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Dia Internacional Contra a Discriminação Racial

Fotografia de Melissa Taís Konzen.
A eliminação do racismo é uma luta cotidiana e, para reforçá-la, a ONU estabeleceu o dia 21 de março como Dia Internacional Contra a Discriminação Racial. Na UFSM, a data foi marcada pela abertura do evento “Negras e Negros na Cultura, na Ciência e nos Movimentos Sociais”, organizado pela Associação Ará Dudu e Pondá Assessoria.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Dia Internacional Contra a Discriminação Racial

Fotografia de Melissa Taís Konzen.
A eliminação do racismo é uma luta cotidiana e, para reforçá-la, a ONU estabeleceu o dia 21 de março como Dia Internacional Contra a Discriminação Racial. Na UFSM, a data foi marcada pela abertura do evento “Negras e Negros na Cultura, na Ciência e nos Movimentos Sociais”, organizado pela Associação Ará Dudu e Pondá Assessoria.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Dia Internacional Contra a Discriminação Racial

Fotografia de Melissa Taís Konzen.
A eliminação do racismo é uma luta cotidiana e, para reforçá-la, a ONU estabeleceu o dia 21 de março como Dia Internacional Contra a Discriminação Racial. Na UFSM, a data foi marcada pela abertura do evento “Negras e Negros na Cultura, na Ciência e nos Movimentos Sociais”, organizado pela Associação Ará Dudu e Pondá Assessoria.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Dia Internacional Contra a Discriminação Racial

Fotografia de Melissa Taís Konzen.
A eliminação do racismo é uma luta cotidiana e, para reforçá-la, a ONU estabeleceu o dia 21 de março como Dia Internacional Contra a Discriminação Racial. Na UFSM, a data foi marcada pela abertura do evento “Negras e Negros na Cultura, na Ciência e nos Movimentos Sociais”, organizado pela Associação Ará Dudu e Pondá Assessoria.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Dia Internacional Contra a Discriminação Racial

Fotografia de Melissa Taís Konzen.
A eliminação do racismo é uma luta cotidiana e, para reforçá-la, a ONU estabeleceu o dia 21 de março como Dia Internacional Contra a Discriminação Racial. Na UFSM, a data foi marcada pela abertura do evento “Negras e Negros na Cultura, na Ciência e nos Movimentos Sociais”, organizado pela Associação Ará Dudu e Pondá Assessoria.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Dia Internacional Contra a Discriminação Racial

Fotografia de Melissa Taís Konzen.
A eliminação do racismo é uma luta cotidiana e, para reforçá-la, a ONU estabeleceu o dia 21 de março como Dia Internacional Contra a Discriminação Racial. Na UFSM, a data foi marcada pela abertura do evento “Negras e Negros na Cultura, na Ciência e nos Movimentos Sociais”, organizado pela Associação Ará Dudu e Pondá Assessoria.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Dia Internacional Contra a Discriminação Racial

Fotografia de Melissa Taís Konzen.
A eliminação do racismo é uma luta cotidiana e, para reforçá-la, a ONU estabeleceu o dia 21 de março como Dia Internacional Contra a Discriminação Racial. Na UFSM, a data foi marcada pela abertura do evento “Negras e Negros na Cultura, na Ciência e nos Movimentos Sociais”, organizado pela Associação Ará Dudu e Pondá Assessoria.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Dia Internacional Contra a Discriminação Racial

Fotografia de Melissa Taís Konzen.
A eliminação do racismo é uma luta cotidiana e, para reforçá-la, a ONU estabeleceu o dia 21 de março como Dia Internacional Contra a Discriminação Racial. Na UFSM, a data foi marcada pela abertura do evento “Negras e Negros na Cultura, na Ciência e nos Movimentos Sociais”, organizado pela Associação Ará Dudu e Pondá Assessoria.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Dia Internacional Contra a Discriminação Racial

Fotografia de Melissa Taís Konzen.
A eliminação do racismo é uma luta cotidiana e, para reforçá-la, a ONU estabeleceu o dia 21 de março como Dia Internacional Contra a Discriminação Racial. Na UFSM, a data foi marcada pela abertura do evento “Negras e Negros na Cultura, na Ciência e nos Movimentos Sociais”, organizado pela Associação Ará Dudu e Pondá Assessoria.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Resultados 1 a 50 de 295