Showing 19 results

Archival description
Gabinete do Reitor DTG Noel Guarany
Advanced search options
Print preview View:

19 results with digital objects Show results with digital objects

Jantar comemorativo aos 12 anos do Departamento de Tradições Gaúchas (DTG) Noel Guarany

Fotografia de Cláudio Humberto Recchia Correa.
O Departamento de Tradições Gaúchas (DTG) Noel Guarany promoveu dia 10 de dezembro de 2017, uma programação comemorativa aos seus 12 anos de atividades. Os eventos fizeram parte das comemorações de aniversário da UFSM e foram realizadas junto à sede do DTG, localizado no Centro de Eventos da UFSM. Integrando o projeto CTG Núcleo de Fortalecimento da Cultura Gaúcha, o DTG promoveu, às 18h, o evento cultural “Nossa Essência”, que consistiu em uma gincana em que cada equipe realizou provas falando da sua própria origem. Já às 21h, foi realizado o jantar comemorativo, com a exposição do relatório de atividades do ano de 2017 e apresentações artísticas.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Jantar comemorativo aos 12 anos do Departamento de Tradições Gaúchas (DTG) Noel Guarany

Fotografia de Cláudio Humberto Recchia Correa.
O Departamento de Tradições Gaúchas (DTG) Noel Guarany promoveu dia 10 de dezembro de 2017, uma programação comemorativa aos seus 12 anos de atividades. Os eventos fizeram parte das comemorações de aniversário da UFSM e foram realizadas junto à sede do DTG, localizado no Centro de Eventos da UFSM. Integrando o projeto CTG Núcleo de Fortalecimento da Cultura Gaúcha, o DTG promoveu, às 18h, o evento cultural “Nossa Essência”, que consistiu em uma gincana em que cada equipe realizou provas falando da sua própria origem. Já às 21h, foi realizado o jantar comemorativo, com a exposição do relatório de atividades do ano de 2017 e apresentações artísticas.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Jantar comemorativo aos 12 anos do Departamento de Tradições Gaúchas (DTG) Noel Guarany

Fotografia de Cláudio Humberto Recchia Correa.
O Departamento de Tradições Gaúchas (DTG) Noel Guarany promoveu dia 10 de dezembro de 2017, uma programação comemorativa aos seus 12 anos de atividades. Os eventos fizeram parte das comemorações de aniversário da UFSM e foram realizadas junto à sede do DTG, localizado no Centro de Eventos da UFSM. Integrando o projeto CTG Núcleo de Fortalecimento da Cultura Gaúcha, o DTG promoveu, às 18h, o evento cultural “Nossa Essência”, que consistiu em uma gincana em que cada equipe realizou provas falando da sua própria origem. Já às 21h, foi realizado o jantar comemorativo, com a exposição do relatório de atividades do ano de 2017 e apresentações artísticas.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Jantar comemorativo aos 12 anos do Departamento de Tradições Gaúchas (DTG) Noel Guarany

Fotografia de Cláudio Humberto Recchia Correa.
O Departamento de Tradições Gaúchas (DTG) Noel Guarany promoveu dia 10 de dezembro de 2017, uma programação comemorativa aos seus 12 anos de atividades. Os eventos fizeram parte das comemorações de aniversário da UFSM e foram realizadas junto à sede do DTG, localizado no Centro de Eventos da UFSM. Integrando o projeto CTG Núcleo de Fortalecimento da Cultura Gaúcha, o DTG promoveu, às 18h, o evento cultural “Nossa Essência”, que consistiu em uma gincana em que cada equipe realizou provas falando da sua própria origem. Já às 21h, foi realizado o jantar comemorativo, com a exposição do relatório de atividades do ano de 2017 e apresentações artísticas.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Jantar comemorativo aos 12 anos do Departamento de Tradições Gaúchas (DTG) Noel Guarany

Fotografia de Cláudio Humberto Recchia Correa.
O Departamento de Tradições Gaúchas (DTG) Noel Guarany promoveu dia 10 de dezembro de 2017, uma programação comemorativa aos seus 12 anos de atividades. Os eventos fizeram parte das comemorações de aniversário da UFSM e foram realizadas junto à sede do DTG, localizado no Centro de Eventos da UFSM. Integrando o projeto CTG Núcleo de Fortalecimento da Cultura Gaúcha, o DTG promoveu, às 18h, o evento cultural “Nossa Essência”, que consistiu em uma gincana em que cada equipe realizou provas falando da sua própria origem. Já às 21h, foi realizado o jantar comemorativo, com a exposição do relatório de atividades do ano de 2017 e apresentações artísticas.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Jantar comemorativo aos 12 anos do Departamento de Tradições Gaúchas (DTG) Noel Guarany

Fotografia de Cláudio Humberto Recchia Correa.
O Departamento de Tradições Gaúchas (DTG) Noel Guarany promoveu dia 10 de dezembro de 2017, uma programação comemorativa aos seus 12 anos de atividades. Os eventos fizeram parte das comemorações de aniversário da UFSM e foram realizadas junto à sede do DTG, localizado no Centro de Eventos da UFSM. Integrando o projeto CTG Núcleo de Fortalecimento da Cultura Gaúcha, o DTG promoveu, às 18h, o evento cultural “Nossa Essência”, que consistiu em uma gincana em que cada equipe realizou provas falando da sua própria origem. Já às 21h, foi realizado o jantar comemorativo, com a exposição do relatório de atividades do ano de 2017 e apresentações artísticas.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Processo de incubação de empreendimentos sociais

Fotografia de Mirian Redin de Quadros.
Dia 8 de agosto de 2017 iniciou o processo de incubação dos 10 grupos selecionados pela Incubadora Social da UFSM, órgão de apoio vinculado à Pró-Reitoria de Extensão (PRE). Foram selecionados: na área agroecológica, o Grupo de Agricultores Orgânicos da Região Central do RS, a Associação Comunitária Remanescentes Quilombolas de Júlio Borges e a Associação Quilombola Linha Fão; na área da alimentação, as Marias Bonitas Fazendo História; na construção civil, o grupo Nível 8 – Mulheres na Construção Civil; na produção artística e cultural, Ará Dudu – Coletivo de Arte e Cultura Negra, Corap – Coletivo de Resistência Artística Periférica e a Comunidade de Terreiro Ilê Axé Ossanha Agué; na produção de artesanato, Ketaju Tegtu & Guaviraty Porã – grupo das aldeias Kaingang e Guarani Mbya de Santa Maria; e no ramo da coleta e reciclagem de materiais, a Associação de Catadores de Materiais Recicláveis Palmeira Verde.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Processo de incubação de empreendimentos sociais

Fotografia de Mirian Redin de Quadros.
Dia 8 de agosto de 2017 iniciou o processo de incubação dos 10 grupos selecionados pela Incubadora Social da UFSM, órgão de apoio vinculado à Pró-Reitoria de Extensão (PRE). Foram selecionados: na área agroecológica, o Grupo de Agricultores Orgânicos da Região Central do RS, a Associação Comunitária Remanescentes Quilombolas de Júlio Borges e a Associação Quilombola Linha Fão; na área da alimentação, as Marias Bonitas Fazendo História; na construção civil, o grupo Nível 8 – Mulheres na Construção Civil; na produção artística e cultural, Ará Dudu – Coletivo de Arte e Cultura Negra, Corap – Coletivo de Resistência Artística Periférica e a Comunidade de Terreiro Ilê Axé Ossanha Agué; na produção de artesanato, Ketaju Tegtu & Guaviraty Porã – grupo das aldeias Kaingang e Guarani Mbya de Santa Maria; e no ramo da coleta e reciclagem de materiais, a Associação de Catadores de Materiais Recicláveis Palmeira Verde.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Processo de incubação de empreendimentos sociais

Fotografia de Mirian Redin de Quadros.
Dia 8 de agosto de 2017 iniciou o processo de incubação dos 10 grupos selecionados pela Incubadora Social da UFSM, órgão de apoio vinculado à Pró-Reitoria de Extensão (PRE). Foram selecionados: na área agroecológica, o Grupo de Agricultores Orgânicos da Região Central do RS, a Associação Comunitária Remanescentes Quilombolas de Júlio Borges e a Associação Quilombola Linha Fão; na área da alimentação, as Marias Bonitas Fazendo História; na construção civil, o grupo Nível 8 – Mulheres na Construção Civil; na produção artística e cultural, Ará Dudu – Coletivo de Arte e Cultura Negra, Corap – Coletivo de Resistência Artística Periférica e a Comunidade de Terreiro Ilê Axé Ossanha Agué; na produção de artesanato, Ketaju Tegtu & Guaviraty Porã – grupo das aldeias Kaingang e Guarani Mbya de Santa Maria; e no ramo da coleta e reciclagem de materiais, a Associação de Catadores de Materiais Recicláveis Palmeira Verde.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Processo de incubação de empreendimentos sociais

Fotografia de Mirian Redin de Quadros.
Dia 8 de agosto de 2017 iniciou o processo de incubação dos 10 grupos selecionados pela Incubadora Social da UFSM, órgão de apoio vinculado à Pró-Reitoria de Extensão (PRE). Foram selecionados: na área agroecológica, o Grupo de Agricultores Orgânicos da Região Central do RS, a Associação Comunitária Remanescentes Quilombolas de Júlio Borges e a Associação Quilombola Linha Fão; na área da alimentação, as Marias Bonitas Fazendo História; na construção civil, o grupo Nível 8 – Mulheres na Construção Civil; na produção artística e cultural, Ará Dudu – Coletivo de Arte e Cultura Negra, Corap – Coletivo de Resistência Artística Periférica e a Comunidade de Terreiro Ilê Axé Ossanha Agué; na produção de artesanato, Ketaju Tegtu & Guaviraty Porã – grupo das aldeias Kaingang e Guarani Mbya de Santa Maria; e no ramo da coleta e reciclagem de materiais, a Associação de Catadores de Materiais Recicláveis Palmeira Verde.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Processo de incubação de empreendimentos sociais

Fotografia de Mirian Redin de Quadros.
Dia 8 de agosto de 2017 iniciou o processo de incubação dos 10 grupos selecionados pela Incubadora Social da UFSM, órgão de apoio vinculado à Pró-Reitoria de Extensão (PRE). Foram selecionados: na área agroecológica, o Grupo de Agricultores Orgânicos da Região Central do RS, a Associação Comunitária Remanescentes Quilombolas de Júlio Borges e a Associação Quilombola Linha Fão; na área da alimentação, as Marias Bonitas Fazendo História; na construção civil, o grupo Nível 8 – Mulheres na Construção Civil; na produção artística e cultural, Ará Dudu – Coletivo de Arte e Cultura Negra, Corap – Coletivo de Resistência Artística Periférica e a Comunidade de Terreiro Ilê Axé Ossanha Agué; na produção de artesanato, Ketaju Tegtu & Guaviraty Porã – grupo das aldeias Kaingang e Guarani Mbya de Santa Maria; e no ramo da coleta e reciclagem de materiais, a Associação de Catadores de Materiais Recicláveis Palmeira Verde.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Processo de incubação de empreendimentos sociais

Fotografia de Mirian Redin de Quadros.
Dia 8 de agosto de 2017 iniciou o processo de incubação dos 10 grupos selecionados pela Incubadora Social da UFSM, órgão de apoio vinculado à Pró-Reitoria de Extensão (PRE). Foram selecionados: na área agroecológica, o Grupo de Agricultores Orgânicos da Região Central do RS, a Associação Comunitária Remanescentes Quilombolas de Júlio Borges e a Associação Quilombola Linha Fão; na área da alimentação, as Marias Bonitas Fazendo História; na construção civil, o grupo Nível 8 – Mulheres na Construção Civil; na produção artística e cultural, Ará Dudu – Coletivo de Arte e Cultura Negra, Corap – Coletivo de Resistência Artística Periférica e a Comunidade de Terreiro Ilê Axé Ossanha Agué; na produção de artesanato, Ketaju Tegtu & Guaviraty Porã – grupo das aldeias Kaingang e Guarani Mbya de Santa Maria; e no ramo da coleta e reciclagem de materiais, a Associação de Catadores de Materiais Recicláveis Palmeira Verde.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Processo de incubação de empreendimentos sociais

Fotografia de Mirian Redin de Quadros.
Dia 8 de agosto de 2017 iniciou o processo de incubação dos 10 grupos selecionados pela Incubadora Social da UFSM, órgão de apoio vinculado à Pró-Reitoria de Extensão (PRE). Foram selecionados: na área agroecológica, o Grupo de Agricultores Orgânicos da Região Central do RS, a Associação Comunitária Remanescentes Quilombolas de Júlio Borges e a Associação Quilombola Linha Fão; na área da alimentação, as Marias Bonitas Fazendo História; na construção civil, o grupo Nível 8 – Mulheres na Construção Civil; na produção artística e cultural, Ará Dudu – Coletivo de Arte e Cultura Negra, Corap – Coletivo de Resistência Artística Periférica e a Comunidade de Terreiro Ilê Axé Ossanha Agué; na produção de artesanato, Ketaju Tegtu & Guaviraty Porã – grupo das aldeias Kaingang e Guarani Mbya de Santa Maria; e no ramo da coleta e reciclagem de materiais, a Associação de Catadores de Materiais Recicláveis Palmeira Verde.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Processo de incubação de empreendimentos sociais

Fotografia de Mirian Redin de Quadros.
Dia 8 de agosto de 2017 iniciou o processo de incubação dos 10 grupos selecionados pela Incubadora Social da UFSM, órgão de apoio vinculado à Pró-Reitoria de Extensão (PRE). Foram selecionados: na área agroecológica, o Grupo de Agricultores Orgânicos da Região Central do RS, a Associação Comunitária Remanescentes Quilombolas de Júlio Borges e a Associação Quilombola Linha Fão; na área da alimentação, as Marias Bonitas Fazendo História; na construção civil, o grupo Nível 8 – Mulheres na Construção Civil; na produção artística e cultural, Ará Dudu – Coletivo de Arte e Cultura Negra, Corap – Coletivo de Resistência Artística Periférica e a Comunidade de Terreiro Ilê Axé Ossanha Agué; na produção de artesanato, Ketaju Tegtu & Guaviraty Porã – grupo das aldeias Kaingang e Guarani Mbya de Santa Maria; e no ramo da coleta e reciclagem de materiais, a Associação de Catadores de Materiais Recicláveis Palmeira Verde.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Processo de incubação de empreendimentos sociais

Fotografia de Mirian Redin de Quadros.
Dia 8 de agosto de 2017 iniciou o processo de incubação dos 10 grupos selecionados pela Incubadora Social da UFSM, órgão de apoio vinculado à Pró-Reitoria de Extensão (PRE). Foram selecionados: na área agroecológica, o Grupo de Agricultores Orgânicos da Região Central do RS, a Associação Comunitária Remanescentes Quilombolas de Júlio Borges e a Associação Quilombola Linha Fão; na área da alimentação, as Marias Bonitas Fazendo História; na construção civil, o grupo Nível 8 – Mulheres na Construção Civil; na produção artística e cultural, Ará Dudu – Coletivo de Arte e Cultura Negra, Corap – Coletivo de Resistência Artística Periférica e a Comunidade de Terreiro Ilê Axé Ossanha Agué; na produção de artesanato, Ketaju Tegtu & Guaviraty Porã – grupo das aldeias Kaingang e Guarani Mbya de Santa Maria; e no ramo da coleta e reciclagem de materiais, a Associação de Catadores de Materiais Recicláveis Palmeira Verde.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Processo de incubação de empreendimentos sociais

Fotografia de Mirian Redin de Quadros.
Dia 8 de agosto de 2017 iniciou o processo de incubação dos 10 grupos selecionados pela Incubadora Social da UFSM, órgão de apoio vinculado à Pró-Reitoria de Extensão (PRE). Foram selecionados: na área agroecológica, o Grupo de Agricultores Orgânicos da Região Central do RS, a Associação Comunitária Remanescentes Quilombolas de Júlio Borges e a Associação Quilombola Linha Fão; na área da alimentação, as Marias Bonitas Fazendo História; na construção civil, o grupo Nível 8 – Mulheres na Construção Civil; na produção artística e cultural, Ará Dudu – Coletivo de Arte e Cultura Negra, Corap – Coletivo de Resistência Artística Periférica e a Comunidade de Terreiro Ilê Axé Ossanha Agué; na produção de artesanato, Ketaju Tegtu & Guaviraty Porã – grupo das aldeias Kaingang e Guarani Mbya de Santa Maria; e no ramo da coleta e reciclagem de materiais, a Associação de Catadores de Materiais Recicláveis Palmeira Verde.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Processo de incubação de empreendimentos sociais

Fotografia de Mirian Redin de Quadros.
Dia 8 de agosto de 2017 iniciou o processo de incubação dos 10 grupos selecionados pela Incubadora Social da UFSM, órgão de apoio vinculado à Pró-Reitoria de Extensão (PRE). Foram selecionados: na área agroecológica, o Grupo de Agricultores Orgânicos da Região Central do RS, a Associação Comunitária Remanescentes Quilombolas de Júlio Borges e a Associação Quilombola Linha Fão; na área da alimentação, as Marias Bonitas Fazendo História; na construção civil, o grupo Nível 8 – Mulheres na Construção Civil; na produção artística e cultural, Ará Dudu – Coletivo de Arte e Cultura Negra, Corap – Coletivo de Resistência Artística Periférica e a Comunidade de Terreiro Ilê Axé Ossanha Agué; na produção de artesanato, Ketaju Tegtu & Guaviraty Porã – grupo das aldeias Kaingang e Guarani Mbya de Santa Maria; e no ramo da coleta e reciclagem de materiais, a Associação de Catadores de Materiais Recicláveis Palmeira Verde.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Processo de incubação de empreendimentos sociais

Fotografia de Mirian Redin de Quadros.
Dia 8 de agosto de 2017 iniciou o processo de incubação dos 10 grupos selecionados pela Incubadora Social da UFSM, órgão de apoio vinculado à Pró-Reitoria de Extensão (PRE). Foram selecionados: na área agroecológica, o Grupo de Agricultores Orgânicos da Região Central do RS, a Associação Comunitária Remanescentes Quilombolas de Júlio Borges e a Associação Quilombola Linha Fão; na área da alimentação, as Marias Bonitas Fazendo História; na construção civil, o grupo Nível 8 – Mulheres na Construção Civil; na produção artística e cultural, Ará Dudu – Coletivo de Arte e Cultura Negra, Corap – Coletivo de Resistência Artística Periférica e a Comunidade de Terreiro Ilê Axé Ossanha Agué; na produção de artesanato, Ketaju Tegtu & Guaviraty Porã – grupo das aldeias Kaingang e Guarani Mbya de Santa Maria; e no ramo da coleta e reciclagem de materiais, a Associação de Catadores de Materiais Recicláveis Palmeira Verde.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Processo de incubação de empreendimentos sociais

Fotografia de Mirian Redin de Quadros.
Dia 8 de agosto de 2017 iniciou o processo de incubação dos 10 grupos selecionados pela Incubadora Social da UFSM, órgão de apoio vinculado à Pró-Reitoria de Extensão (PRE). Foram selecionados: na área agroecológica, o Grupo de Agricultores Orgânicos da Região Central do RS, a Associação Comunitária Remanescentes Quilombolas de Júlio Borges e a Associação Quilombola Linha Fão; na área da alimentação, as Marias Bonitas Fazendo História; na construção civil, o grupo Nível 8 – Mulheres na Construção Civil; na produção artística e cultural, Ará Dudu – Coletivo de Arte e Cultura Negra, Corap – Coletivo de Resistência Artística Periférica e a Comunidade de Terreiro Ilê Axé Ossanha Agué; na produção de artesanato, Ketaju Tegtu & Guaviraty Porã – grupo das aldeias Kaingang e Guarani Mbya de Santa Maria; e no ramo da coleta e reciclagem de materiais, a Associação de Catadores de Materiais Recicláveis Palmeira Verde.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)