Biblioteca Central Manoel Marques de Souza, Conde de Porto Alegre (BC, Prédio 30)

Taxonomia

Código

Nota(s) de âmbito

  • Prédio 30. O prédio próprio da Biblioteca Central no Campus foi inaugurado em 03 de dezembro de 1972.

Nota(s) da fonte

Mostrar nota(s)

Termos hierárquicos

Biblioteca Central Manoel Marques de Souza, Conde de Porto Alegre (BC, Prédio 30)

Termos equivalentes

Biblioteca Central Manoel Marques de Souza, Conde de Porto Alegre (BC, Prédio 30)

Termos associados

Biblioteca Central Manoel Marques de Souza, Conde de Porto Alegre (BC, Prédio 30)

343 Descrição arquivística resultados para Biblioteca Central Manoel Marques de Souza, Conde de Porto Alegre (BC, Prédio 30)

343 resultados diretamente relacionados Excluir termos específicos

Apresentação da Casa Verônica do Observatório de Direitos Humanos

Fotografia por Victor de Carli Lopes.
O Observatório de Direitos Humanos (ODH) PRE/UFSM apresentou no dia 27 de junho o espaço multiprofissional Casa Verônica, com a presença da Deputada Federal Fernanda Melchionna e Silva. O espaço terá o objetivo de efetivar ações da Política de Igualdade de Gênero da Universidade, como o atendimento a vítimas de violência de gênero e homenageia a ativista Verônica Oliveira, conhecida como Mãe Loira pelas comunidades trans e LGBT de Santa Maria. Verônica foi assassinada a facadas em dezembro de 2019. O espaço que leva o nome dela está sendo instalado na sala 204, aos fundos da Biblioteca Central da UFSM. Integrante do Comitê de Igualdade de Gênero da UFSM, a servidora Bruna L. Denkin foi designada para administrar a Casa Verônica. Entre as ações pensadas para efetivação da Política de Igualdade de Gênero estão a criação do comitê de igualdade de gênero, com o objetivo de pensar, planejar e propor ações, e um espaço multiprofissional, que viria a ser a Casa Verônica. Devido a uma emenda parlamentar de autoria da deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL), a instituição obteve recursos para contratar, por ao menos dois anos, três profissionais das áreas de Psicologia, Assistência Social e Direito para atuação na Casa Verônica.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Apresentação da Casa Verônica do Observatório de Direitos Humanos

Fotografia por Victor de Carli Lopes.
O Observatório de Direitos Humanos (ODH) PRE/UFSM apresentou no dia 27 de junho o espaço multiprofissional Casa Verônica, com a presença da Deputada Federal Fernanda Melchionna e Silva. O espaço terá o objetivo de efetivar ações da Política de Igualdade de Gênero da Universidade, como o atendimento a vítimas de violência de gênero e homenageia a ativista Verônica Oliveira, conhecida como Mãe Loira pelas comunidades trans e LGBT de Santa Maria. Verônica foi assassinada a facadas em dezembro de 2019. O espaço que leva o nome dela está sendo instalado na sala 204, aos fundos da Biblioteca Central da UFSM. Integrante do Comitê de Igualdade de Gênero da UFSM, a servidora Bruna L. Denkin foi designada para administrar a Casa Verônica. Entre as ações pensadas para efetivação da Política de Igualdade de Gênero estão a criação do comitê de igualdade de gênero, com o objetivo de pensar, planejar e propor ações, e um espaço multiprofissional, que viria a ser a Casa Verônica. Devido a uma emenda parlamentar de autoria da deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL), a instituição obteve recursos para contratar, por ao menos dois anos, três profissionais das áreas de Psicologia, Assistência Social e Direito para atuação na Casa Verônica.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Apresentação da Casa Verônica do Observatório de Direitos Humanos

Fotografia por Victor de Carli Lopes.
O Observatório de Direitos Humanos (ODH) PRE/UFSM apresentou no dia 27 de junho o espaço multiprofissional Casa Verônica, com a presença da Deputada Federal Fernanda Melchionna e Silva. O espaço terá o objetivo de efetivar ações da Política de Igualdade de Gênero da Universidade, como o atendimento a vítimas de violência de gênero e homenageia a ativista Verônica Oliveira, conhecida como Mãe Loira pelas comunidades trans e LGBT de Santa Maria. Verônica foi assassinada a facadas em dezembro de 2019. O espaço que leva o nome dela está sendo instalado na sala 204, aos fundos da Biblioteca Central da UFSM. Integrante do Comitê de Igualdade de Gênero da UFSM, a servidora Bruna L. Denkin foi designada para administrar a Casa Verônica. Entre as ações pensadas para efetivação da Política de Igualdade de Gênero estão a criação do comitê de igualdade de gênero, com o objetivo de pensar, planejar e propor ações, e um espaço multiprofissional, que viria a ser a Casa Verônica. Devido a uma emenda parlamentar de autoria da deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL), a instituição obteve recursos para contratar, por ao menos dois anos, três profissionais das áreas de Psicologia, Assistência Social e Direito para atuação na Casa Verônica.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Apresentação da Casa Verônica do Observatório de Direitos Humanos

Fotografia por Victor de Carli Lopes.
O Observatório de Direitos Humanos (ODH) PRE/UFSM apresentou no dia 27 de junho o espaço multiprofissional Casa Verônica, com a presença da Deputada Federal Fernanda Melchionna e Silva. O espaço terá o objetivo de efetivar ações da Política de Igualdade de Gênero da Universidade, como o atendimento a vítimas de violência de gênero e homenageia a ativista Verônica Oliveira, conhecida como Mãe Loira pelas comunidades trans e LGBT de Santa Maria. Verônica foi assassinada a facadas em dezembro de 2019. O espaço que leva o nome dela está sendo instalado na sala 204, aos fundos da Biblioteca Central da UFSM. Integrante do Comitê de Igualdade de Gênero da UFSM, a servidora Bruna L. Denkin foi designada para administrar a Casa Verônica. Entre as ações pensadas para efetivação da Política de Igualdade de Gênero estão a criação do comitê de igualdade de gênero, com o objetivo de pensar, planejar e propor ações, e um espaço multiprofissional, que viria a ser a Casa Verônica. Devido a uma emenda parlamentar de autoria da deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL), a instituição obteve recursos para contratar, por ao menos dois anos, três profissionais das áreas de Psicologia, Assistência Social e Direito para atuação na Casa Verônica.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Apresentação da Casa Verônica do Observatório de Direitos Humanos

Fotografia por Victor de Carli Lopes.
O Observatório de Direitos Humanos (ODH) PRE/UFSM apresentou no dia 27 de junho o espaço multiprofissional Casa Verônica, com a presença da Deputada Federal Fernanda Melchionna e Silva. O espaço terá o objetivo de efetivar ações da Política de Igualdade de Gênero da Universidade, como o atendimento a vítimas de violência de gênero e homenageia a ativista Verônica Oliveira, conhecida como Mãe Loira pelas comunidades trans e LGBT de Santa Maria. Verônica foi assassinada a facadas em dezembro de 2019. O espaço que leva o nome dela está sendo instalado na sala 204, aos fundos da Biblioteca Central da UFSM. Integrante do Comitê de Igualdade de Gênero da UFSM, a servidora Bruna L. Denkin foi designada para administrar a Casa Verônica. Entre as ações pensadas para efetivação da Política de Igualdade de Gênero estão a criação do comitê de igualdade de gênero, com o objetivo de pensar, planejar e propor ações, e um espaço multiprofissional, que viria a ser a Casa Verônica. Devido a uma emenda parlamentar de autoria da deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL), a instituição obteve recursos para contratar, por ao menos dois anos, três profissionais das áreas de Psicologia, Assistência Social e Direito para atuação na Casa Verônica.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Apresentação da Casa Verônica do Observatório de Direitos Humanos

Fotografia por Victor de Carli Lopes.
O Observatório de Direitos Humanos (ODH) PRE/UFSM apresentou no dia 27 de junho o espaço multiprofissional Casa Verônica, com a presença da Deputada Federal Fernanda Melchionna e Silva. O espaço terá o objetivo de efetivar ações da Política de Igualdade de Gênero da Universidade, como o atendimento a vítimas de violência de gênero e homenageia a ativista Verônica Oliveira, conhecida como Mãe Loira pelas comunidades trans e LGBT de Santa Maria. Verônica foi assassinada a facadas em dezembro de 2019. O espaço que leva o nome dela está sendo instalado na sala 204, aos fundos da Biblioteca Central da UFSM. Integrante do Comitê de Igualdade de Gênero da UFSM, a servidora Bruna L. Denkin foi designada para administrar a Casa Verônica. Entre as ações pensadas para efetivação da Política de Igualdade de Gênero estão a criação do comitê de igualdade de gênero, com o objetivo de pensar, planejar e propor ações, e um espaço multiprofissional, que viria a ser a Casa Verônica. Devido a uma emenda parlamentar de autoria da deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL), a instituição obteve recursos para contratar, por ao menos dois anos, três profissionais das áreas de Psicologia, Assistência Social e Direito para atuação na Casa Verônica.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Apresentação da Casa Verônica do Observatório de Direitos Humanos

Fotografia por Victor de Carli Lopes.
O Observatório de Direitos Humanos (ODH) PRE/UFSM apresentou no dia 27 de junho o espaço multiprofissional Casa Verônica, com a presença da Deputada Federal Fernanda Melchionna e Silva. O espaço terá o objetivo de efetivar ações da Política de Igualdade de Gênero da Universidade, como o atendimento a vítimas de violência de gênero e homenageia a ativista Verônica Oliveira, conhecida como Mãe Loira pelas comunidades trans e LGBT de Santa Maria. Verônica foi assassinada a facadas em dezembro de 2019. O espaço que leva o nome dela está sendo instalado na sala 204, aos fundos da Biblioteca Central da UFSM. Integrante do Comitê de Igualdade de Gênero da UFSM, a servidora Bruna L. Denkin foi designada para administrar a Casa Verônica. Entre as ações pensadas para efetivação da Política de Igualdade de Gênero estão a criação do comitê de igualdade de gênero, com o objetivo de pensar, planejar e propor ações, e um espaço multiprofissional, que viria a ser a Casa Verônica. Devido a uma emenda parlamentar de autoria da deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL), a instituição obteve recursos para contratar, por ao menos dois anos, três profissionais das áreas de Psicologia, Assistência Social e Direito para atuação na Casa Verônica.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Apresentação da Casa Verônica do Observatório de Direitos Humanos

Fotografia por Victor de Carli Lopes.
O Observatório de Direitos Humanos (ODH) PRE/UFSM apresentou no dia 27 de junho o espaço multiprofissional Casa Verônica, com a presença da Deputada Federal Fernanda Melchionna e Silva. O espaço terá o objetivo de efetivar ações da Política de Igualdade de Gênero da Universidade, como o atendimento a vítimas de violência de gênero e homenageia a ativista Verônica Oliveira, conhecida como Mãe Loira pelas comunidades trans e LGBT de Santa Maria. Verônica foi assassinada a facadas em dezembro de 2019. O espaço que leva o nome dela está sendo instalado na sala 204, aos fundos da Biblioteca Central da UFSM. Integrante do Comitê de Igualdade de Gênero da UFSM, a servidora Bruna L. Denkin foi designada para administrar a Casa Verônica. Entre as ações pensadas para efetivação da Política de Igualdade de Gênero estão a criação do comitê de igualdade de gênero, com o objetivo de pensar, planejar e propor ações, e um espaço multiprofissional, que viria a ser a Casa Verônica. Devido a uma emenda parlamentar de autoria da deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL), a instituição obteve recursos para contratar, por ao menos dois anos, três profissionais das áreas de Psicologia, Assistência Social e Direito para atuação na Casa Verônica.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Apresentação da Casa Verônica do Observatório de Direitos Humanos

Fotografia por Victor de Carli Lopes.
O Observatório de Direitos Humanos (ODH) PRE/UFSM apresentou no dia 27 de junho o espaço multiprofissional Casa Verônica, com a presença da Deputada Federal Fernanda Melchionna e Silva. O espaço terá o objetivo de efetivar ações da Política de Igualdade de Gênero da Universidade, como o atendimento a vítimas de violência de gênero e homenageia a ativista Verônica Oliveira, conhecida como Mãe Loira pelas comunidades trans e LGBT de Santa Maria. Verônica foi assassinada a facadas em dezembro de 2019. O espaço que leva o nome dela está sendo instalado na sala 204, aos fundos da Biblioteca Central da UFSM. Integrante do Comitê de Igualdade de Gênero da UFSM, a servidora Bruna L. Denkin foi designada para administrar a Casa Verônica. Entre as ações pensadas para efetivação da Política de Igualdade de Gênero estão a criação do comitê de igualdade de gênero, com o objetivo de pensar, planejar e propor ações, e um espaço multiprofissional, que viria a ser a Casa Verônica. Devido a uma emenda parlamentar de autoria da deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL), a instituição obteve recursos para contratar, por ao menos dois anos, três profissionais das áreas de Psicologia, Assistência Social e Direito para atuação na Casa Verônica.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Apresentação da Casa Verônica do Observatório de Direitos Humanos

Fotografia por Victor de Carli Lopes.
O Observatório de Direitos Humanos (ODH) PRE/UFSM apresentou no dia 27 de junho o espaço multiprofissional Casa Verônica, com a presença da Deputada Federal Fernanda Melchionna e Silva. O espaço terá o objetivo de efetivar ações da Política de Igualdade de Gênero da Universidade, como o atendimento a vítimas de violência de gênero e homenageia a ativista Verônica Oliveira, conhecida como Mãe Loira pelas comunidades trans e LGBT de Santa Maria. Verônica foi assassinada a facadas em dezembro de 2019. O espaço que leva o nome dela está sendo instalado na sala 204, aos fundos da Biblioteca Central da UFSM. Integrante do Comitê de Igualdade de Gênero da UFSM, a servidora Bruna L. Denkin foi designada para administrar a Casa Verônica. Entre as ações pensadas para efetivação da Política de Igualdade de Gênero estão a criação do comitê de igualdade de gênero, com o objetivo de pensar, planejar e propor ações, e um espaço multiprofissional, que viria a ser a Casa Verônica. Devido a uma emenda parlamentar de autoria da deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL), a instituição obteve recursos para contratar, por ao menos dois anos, três profissionais das áreas de Psicologia, Assistência Social e Direito para atuação na Casa Verônica.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Apresentação da Casa Verônica do Observatório de Direitos Humanos

Fotografia por Victor de Carli Lopes.
O Observatório de Direitos Humanos (ODH) PRE/UFSM apresentou no dia 27 de junho o espaço multiprofissional Casa Verônica, com a presença da Deputada Federal Fernanda Melchionna e Silva. O espaço terá o objetivo de efetivar ações da Política de Igualdade de Gênero da Universidade, como o atendimento a vítimas de violência de gênero e homenageia a ativista Verônica Oliveira, conhecida como Mãe Loira pelas comunidades trans e LGBT de Santa Maria. Verônica foi assassinada a facadas em dezembro de 2019. O espaço que leva o nome dela está sendo instalado na sala 204, aos fundos da Biblioteca Central da UFSM. Integrante do Comitê de Igualdade de Gênero da UFSM, a servidora Bruna L. Denkin foi designada para administrar a Casa Verônica. Entre as ações pensadas para efetivação da Política de Igualdade de Gênero estão a criação do comitê de igualdade de gênero, com o objetivo de pensar, planejar e propor ações, e um espaço multiprofissional, que viria a ser a Casa Verônica. Devido a uma emenda parlamentar de autoria da deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL), a instituição obteve recursos para contratar, por ao menos dois anos, três profissionais das áreas de Psicologia, Assistência Social e Direito para atuação na Casa Verônica.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Apresentação da Casa Verônica do Observatório de Direitos Humanos

Fotografia por Victor de Carli Lopes.
O Observatório de Direitos Humanos (ODH) PRE/UFSM apresentou no dia 27 de junho o espaço multiprofissional Casa Verônica, com a presença da Deputada Federal Fernanda Melchionna e Silva. O espaço terá o objetivo de efetivar ações da Política de Igualdade de Gênero da Universidade, como o atendimento a vítimas de violência de gênero e homenageia a ativista Verônica Oliveira, conhecida como Mãe Loira pelas comunidades trans e LGBT de Santa Maria. Verônica foi assassinada a facadas em dezembro de 2019. O espaço que leva o nome dela está sendo instalado na sala 204, aos fundos da Biblioteca Central da UFSM. Integrante do Comitê de Igualdade de Gênero da UFSM, a servidora Bruna L. Denkin foi designada para administrar a Casa Verônica. Entre as ações pensadas para efetivação da Política de Igualdade de Gênero estão a criação do comitê de igualdade de gênero, com o objetivo de pensar, planejar e propor ações, e um espaço multiprofissional, que viria a ser a Casa Verônica. Devido a uma emenda parlamentar de autoria da deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL), a instituição obteve recursos para contratar, por ao menos dois anos, três profissionais das áreas de Psicologia, Assistência Social e Direito para atuação na Casa Verônica.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Apresentação da Casa Verônica do Observatório de Direitos Humanos

Fotografia por Victor de Carli Lopes.
O Observatório de Direitos Humanos (ODH) PRE/UFSM apresentou no dia 27 de junho o espaço multiprofissional Casa Verônica, com a presença da Deputada Federal Fernanda Melchionna e Silva. O espaço terá o objetivo de efetivar ações da Política de Igualdade de Gênero da Universidade, como o atendimento a vítimas de violência de gênero e homenageia a ativista Verônica Oliveira, conhecida como Mãe Loira pelas comunidades trans e LGBT de Santa Maria. Verônica foi assassinada a facadas em dezembro de 2019. O espaço que leva o nome dela está sendo instalado na sala 204, aos fundos da Biblioteca Central da UFSM. Integrante do Comitê de Igualdade de Gênero da UFSM, a servidora Bruna L. Denkin foi designada para administrar a Casa Verônica. Entre as ações pensadas para efetivação da Política de Igualdade de Gênero estão a criação do comitê de igualdade de gênero, com o objetivo de pensar, planejar e propor ações, e um espaço multiprofissional, que viria a ser a Casa Verônica. Devido a uma emenda parlamentar de autoria da deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL), a instituição obteve recursos para contratar, por ao menos dois anos, três profissionais das áreas de Psicologia, Assistência Social e Direito para atuação na Casa Verônica.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Apresentação da Casa Verônica do Observatório de Direitos Humanos

Fotografia por Victor de Carli Lopes.
O Observatório de Direitos Humanos (ODH) PRE/UFSM apresentou no dia 27 de junho o espaço multiprofissional Casa Verônica, com a presença da Deputada Federal Fernanda Melchionna e Silva. O espaço terá o objetivo de efetivar ações da Política de Igualdade de Gênero da Universidade, como o atendimento a vítimas de violência de gênero e homenageia a ativista Verônica Oliveira, conhecida como Mãe Loira pelas comunidades trans e LGBT de Santa Maria. Verônica foi assassinada a facadas em dezembro de 2019. O espaço que leva o nome dela está sendo instalado na sala 204, aos fundos da Biblioteca Central da UFSM. Integrante do Comitê de Igualdade de Gênero da UFSM, a servidora Bruna L. Denkin foi designada para administrar a Casa Verônica. Entre as ações pensadas para efetivação da Política de Igualdade de Gênero estão a criação do comitê de igualdade de gênero, com o objetivo de pensar, planejar e propor ações, e um espaço multiprofissional, que viria a ser a Casa Verônica. Devido a uma emenda parlamentar de autoria da deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL), a instituição obteve recursos para contratar, por ao menos dois anos, três profissionais das áreas de Psicologia, Assistência Social e Direito para atuação na Casa Verônica.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Apresentação da Casa Verônica do Observatório de Direitos Humanos

Fotografia por Victor de Carli Lopes.
O Observatório de Direitos Humanos (ODH) PRE/UFSM apresentou no dia 27 de junho o espaço multiprofissional Casa Verônica, com a presença da Deputada Federal Fernanda Melchionna e Silva. O espaço terá o objetivo de efetivar ações da Política de Igualdade de Gênero da Universidade, como o atendimento a vítimas de violência de gênero e homenageia a ativista Verônica Oliveira, conhecida como Mãe Loira pelas comunidades trans e LGBT de Santa Maria. Verônica foi assassinada a facadas em dezembro de 2019. O espaço que leva o nome dela está sendo instalado na sala 204, aos fundos da Biblioteca Central da UFSM. Integrante do Comitê de Igualdade de Gênero da UFSM, a servidora Bruna L. Denkin foi designada para administrar a Casa Verônica. Entre as ações pensadas para efetivação da Política de Igualdade de Gênero estão a criação do comitê de igualdade de gênero, com o objetivo de pensar, planejar e propor ações, e um espaço multiprofissional, que viria a ser a Casa Verônica. Devido a uma emenda parlamentar de autoria da deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL), a instituição obteve recursos para contratar, por ao menos dois anos, três profissionais das áreas de Psicologia, Assistência Social e Direito para atuação na Casa Verônica.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Apresentação da Casa Verônica do Observatório de Direitos Humanos

Fotografia por Victor de Carli Lopes.
O Observatório de Direitos Humanos (ODH) PRE/UFSM apresentou no dia 27 de junho o espaço multiprofissional Casa Verônica, com a presença da Deputada Federal Fernanda Melchionna e Silva. O espaço terá o objetivo de efetivar ações da Política de Igualdade de Gênero da Universidade, como o atendimento a vítimas de violência de gênero e homenageia a ativista Verônica Oliveira, conhecida como Mãe Loira pelas comunidades trans e LGBT de Santa Maria. Verônica foi assassinada a facadas em dezembro de 2019. O espaço que leva o nome dela está sendo instalado na sala 204, aos fundos da Biblioteca Central da UFSM. Integrante do Comitê de Igualdade de Gênero da UFSM, a servidora Bruna L. Denkin foi designada para administrar a Casa Verônica. Entre as ações pensadas para efetivação da Política de Igualdade de Gênero estão a criação do comitê de igualdade de gênero, com o objetivo de pensar, planejar e propor ações, e um espaço multiprofissional, que viria a ser a Casa Verônica. Devido a uma emenda parlamentar de autoria da deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL), a instituição obteve recursos para contratar, por ao menos dois anos, três profissionais das áreas de Psicologia, Assistência Social e Direito para atuação na Casa Verônica.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Apresentação da Casa Verônica do Observatório de Direitos Humanos

Fotografia por Victor de Carli Lopes.
O Observatório de Direitos Humanos (ODH) PRE/UFSM apresentou no dia 27 de junho o espaço multiprofissional Casa Verônica, com a presença da Deputada Federal Fernanda Melchionna e Silva. O espaço terá o objetivo de efetivar ações da Política de Igualdade de Gênero da Universidade, como o atendimento a vítimas de violência de gênero e homenageia a ativista Verônica Oliveira, conhecida como Mãe Loira pelas comunidades trans e LGBT de Santa Maria. Verônica foi assassinada a facadas em dezembro de 2019. O espaço que leva o nome dela está sendo instalado na sala 204, aos fundos da Biblioteca Central da UFSM. Integrante do Comitê de Igualdade de Gênero da UFSM, a servidora Bruna L. Denkin foi designada para administrar a Casa Verônica. Entre as ações pensadas para efetivação da Política de Igualdade de Gênero estão a criação do comitê de igualdade de gênero, com o objetivo de pensar, planejar e propor ações, e um espaço multiprofissional, que viria a ser a Casa Verônica. Devido a uma emenda parlamentar de autoria da deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL), a instituição obteve recursos para contratar, por ao menos dois anos, três profissionais das áreas de Psicologia, Assistência Social e Direito para atuação na Casa Verônica.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Apresentação da Casa Verônica do Observatório de Direitos Humanos

Fotografia por Victor de Carli Lopes.
O Observatório de Direitos Humanos (ODH) PRE/UFSM apresentou no dia 27 de junho o espaço multiprofissional Casa Verônica, com a presença da Deputada Federal Fernanda Melchionna e Silva. O espaço terá o objetivo de efetivar ações da Política de Igualdade de Gênero da Universidade, como o atendimento a vítimas de violência de gênero e homenageia a ativista Verônica Oliveira, conhecida como Mãe Loira pelas comunidades trans e LGBT de Santa Maria. Verônica foi assassinada a facadas em dezembro de 2019. O espaço que leva o nome dela está sendo instalado na sala 204, aos fundos da Biblioteca Central da UFSM. Integrante do Comitê de Igualdade de Gênero da UFSM, a servidora Bruna L. Denkin foi designada para administrar a Casa Verônica. Entre as ações pensadas para efetivação da Política de Igualdade de Gênero estão a criação do comitê de igualdade de gênero, com o objetivo de pensar, planejar e propor ações, e um espaço multiprofissional, que viria a ser a Casa Verônica. Devido a uma emenda parlamentar de autoria da deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL), a instituição obteve recursos para contratar, por ao menos dois anos, três profissionais das áreas de Psicologia, Assistência Social e Direito para atuação na Casa Verônica.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Apresentação da Casa Verônica do Observatório de Direitos Humanos

Fotografia por Victor de Carli Lopes.
O Observatório de Direitos Humanos (ODH) PRE/UFSM apresentou no dia 27 de junho o espaço multiprofissional Casa Verônica, com a presença da Deputada Federal Fernanda Melchionna e Silva. O espaço terá o objetivo de efetivar ações da Política de Igualdade de Gênero da Universidade, como o atendimento a vítimas de violência de gênero e homenageia a ativista Verônica Oliveira, conhecida como Mãe Loira pelas comunidades trans e LGBT de Santa Maria. Verônica foi assassinada a facadas em dezembro de 2019. O espaço que leva o nome dela está sendo instalado na sala 204, aos fundos da Biblioteca Central da UFSM. Integrante do Comitê de Igualdade de Gênero da UFSM, a servidora Bruna L. Denkin foi designada para administrar a Casa Verônica. Entre as ações pensadas para efetivação da Política de Igualdade de Gênero estão a criação do comitê de igualdade de gênero, com o objetivo de pensar, planejar e propor ações, e um espaço multiprofissional, que viria a ser a Casa Verônica. Devido a uma emenda parlamentar de autoria da deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL), a instituição obteve recursos para contratar, por ao menos dois anos, três profissionais das áreas de Psicologia, Assistência Social e Direito para atuação na Casa Verônica.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Apresentação da Casa Verônica do Observatório de Direitos Humanos

Fotografia por Victor de Carli Lopes.
O Observatório de Direitos Humanos (ODH) PRE/UFSM apresentou no dia 27 de junho o espaço multiprofissional Casa Verônica, com a presença da Deputada Federal Fernanda Melchionna e Silva. O espaço terá o objetivo de efetivar ações da Política de Igualdade de Gênero da Universidade, como o atendimento a vítimas de violência de gênero e homenageia a ativista Verônica Oliveira, conhecida como Mãe Loira pelas comunidades trans e LGBT de Santa Maria. Verônica foi assassinada a facadas em dezembro de 2019. O espaço que leva o nome dela está sendo instalado na sala 204, aos fundos da Biblioteca Central da UFSM. Integrante do Comitê de Igualdade de Gênero da UFSM, a servidora Bruna L. Denkin foi designada para administrar a Casa Verônica. Entre as ações pensadas para efetivação da Política de Igualdade de Gênero estão a criação do comitê de igualdade de gênero, com o objetivo de pensar, planejar e propor ações, e um espaço multiprofissional, que viria a ser a Casa Verônica. Devido a uma emenda parlamentar de autoria da deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL), a instituição obteve recursos para contratar, por ao menos dois anos, três profissionais das áreas de Psicologia, Assistência Social e Direito para atuação na Casa Verônica.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Apresentação da Casa Verônica do Observatório de Direitos Humanos

Fotografia por Victor de Carli Lopes.
O Observatório de Direitos Humanos (ODH) PRE/UFSM apresentou no dia 27 de junho o espaço multiprofissional Casa Verônica, com a presença da Deputada Federal Fernanda Melchionna e Silva. O espaço terá o objetivo de efetivar ações da Política de Igualdade de Gênero da Universidade, como o atendimento a vítimas de violência de gênero e homenageia a ativista Verônica Oliveira, conhecida como Mãe Loira pelas comunidades trans e LGBT de Santa Maria. Verônica foi assassinada a facadas em dezembro de 2019. O espaço que leva o nome dela está sendo instalado na sala 204, aos fundos da Biblioteca Central da UFSM. Integrante do Comitê de Igualdade de Gênero da UFSM, a servidora Bruna L. Denkin foi designada para administrar a Casa Verônica. Entre as ações pensadas para efetivação da Política de Igualdade de Gênero estão a criação do comitê de igualdade de gênero, com o objetivo de pensar, planejar e propor ações, e um espaço multiprofissional, que viria a ser a Casa Verônica. Devido a uma emenda parlamentar de autoria da deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL), a instituição obteve recursos para contratar, por ao menos dois anos, três profissionais das áreas de Psicologia, Assistência Social e Direito para atuação na Casa Verônica.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Apresentação da Casa Verônica do Observatório de Direitos Humanos

Fotografia por Victor de Carli Lopes.
O Observatório de Direitos Humanos (ODH) PRE/UFSM apresentou no dia 27 de junho o espaço multiprofissional Casa Verônica, com a presença da Deputada Federal Fernanda Melchionna e Silva. O espaço terá o objetivo de efetivar ações da Política de Igualdade de Gênero da Universidade, como o atendimento a vítimas de violência de gênero e homenageia a ativista Verônica Oliveira, conhecida como Mãe Loira pelas comunidades trans e LGBT de Santa Maria. Verônica foi assassinada a facadas em dezembro de 2019. O espaço que leva o nome dela está sendo instalado na sala 204, aos fundos da Biblioteca Central da UFSM. Integrante do Comitê de Igualdade de Gênero da UFSM, a servidora Bruna L. Denkin foi designada para administrar a Casa Verônica. Entre as ações pensadas para efetivação da Política de Igualdade de Gênero estão a criação do comitê de igualdade de gênero, com o objetivo de pensar, planejar e propor ações, e um espaço multiprofissional, que viria a ser a Casa Verônica. Devido a uma emenda parlamentar de autoria da deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL), a instituição obteve recursos para contratar, por ao menos dois anos, três profissionais das áreas de Psicologia, Assistência Social e Direito para atuação na Casa Verônica.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Apresentação da Casa Verônica do Observatório de Direitos Humanos

Fotografia por Victor de Carli Lopes.
O Observatório de Direitos Humanos (ODH) PRE/UFSM apresentou no dia 27 de junho o espaço multiprofissional Casa Verônica, com a presença da Deputada Federal Fernanda Melchionna e Silva. O espaço terá o objetivo de efetivar ações da Política de Igualdade de Gênero da Universidade, como o atendimento a vítimas de violência de gênero e homenageia a ativista Verônica Oliveira, conhecida como Mãe Loira pelas comunidades trans e LGBT de Santa Maria. Verônica foi assassinada a facadas em dezembro de 2019. O espaço que leva o nome dela está sendo instalado na sala 204, aos fundos da Biblioteca Central da UFSM. Integrante do Comitê de Igualdade de Gênero da UFSM, a servidora Bruna L. Denkin foi designada para administrar a Casa Verônica. Entre as ações pensadas para efetivação da Política de Igualdade de Gênero estão a criação do comitê de igualdade de gênero, com o objetivo de pensar, planejar e propor ações, e um espaço multiprofissional, que viria a ser a Casa Verônica. Devido a uma emenda parlamentar de autoria da deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL), a instituição obteve recursos para contratar, por ao menos dois anos, três profissionais das áreas de Psicologia, Assistência Social e Direito para atuação na Casa Verônica.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Apresentação da Casa Verônica do Observatório de Direitos Humanos

Fotografia por Victor de Carli Lopes.
O Observatório de Direitos Humanos (ODH) PRE/UFSM apresentou no dia 27 de junho o espaço multiprofissional Casa Verônica, com a presença da Deputada Federal Fernanda Melchionna e Silva. O espaço terá o objetivo de efetivar ações da Política de Igualdade de Gênero da Universidade, como o atendimento a vítimas de violência de gênero e homenageia a ativista Verônica Oliveira, conhecida como Mãe Loira pelas comunidades trans e LGBT de Santa Maria. Verônica foi assassinada a facadas em dezembro de 2019. O espaço que leva o nome dela está sendo instalado na sala 204, aos fundos da Biblioteca Central da UFSM. Integrante do Comitê de Igualdade de Gênero da UFSM, a servidora Bruna L. Denkin foi designada para administrar a Casa Verônica. Entre as ações pensadas para efetivação da Política de Igualdade de Gênero estão a criação do comitê de igualdade de gênero, com o objetivo de pensar, planejar e propor ações, e um espaço multiprofissional, que viria a ser a Casa Verônica. Devido a uma emenda parlamentar de autoria da deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL), a instituição obteve recursos para contratar, por ao menos dois anos, três profissionais das áreas de Psicologia, Assistência Social e Direito para atuação na Casa Verônica.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Apresentação da Casa Verônica do Observatório de Direitos Humanos

Fotografia por Victor de Carli Lopes.
O Observatório de Direitos Humanos (ODH) PRE/UFSM apresentou no dia 27 de junho o espaço multiprofissional Casa Verônica, com a presença da Deputada Federal Fernanda Melchionna e Silva. O espaço terá o objetivo de efetivar ações da Política de Igualdade de Gênero da Universidade, como o atendimento a vítimas de violência de gênero e homenageia a ativista Verônica Oliveira, conhecida como Mãe Loira pelas comunidades trans e LGBT de Santa Maria. Verônica foi assassinada a facadas em dezembro de 2019. O espaço que leva o nome dela está sendo instalado na sala 204, aos fundos da Biblioteca Central da UFSM. Integrante do Comitê de Igualdade de Gênero da UFSM, a servidora Bruna L. Denkin foi designada para administrar a Casa Verônica. Entre as ações pensadas para efetivação da Política de Igualdade de Gênero estão a criação do comitê de igualdade de gênero, com o objetivo de pensar, planejar e propor ações, e um espaço multiprofissional, que viria a ser a Casa Verônica. Devido a uma emenda parlamentar de autoria da deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL), a instituição obteve recursos para contratar, por ao menos dois anos, três profissionais das áreas de Psicologia, Assistência Social e Direito para atuação na Casa Verônica.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Apresentação da Casa Verônica do Observatório de Direitos Humanos

Fotografia por Victor de Carli Lopes.
O Observatório de Direitos Humanos (ODH) PRE/UFSM apresentou no dia 27 de junho o espaço multiprofissional Casa Verônica, com a presença da Deputada Federal Fernanda Melchionna e Silva. O espaço terá o objetivo de efetivar ações da Política de Igualdade de Gênero da Universidade, como o atendimento a vítimas de violência de gênero e homenageia a ativista Verônica Oliveira, conhecida como Mãe Loira pelas comunidades trans e LGBT de Santa Maria. Verônica foi assassinada a facadas em dezembro de 2019. O espaço que leva o nome dela está sendo instalado na sala 204, aos fundos da Biblioteca Central da UFSM. Integrante do Comitê de Igualdade de Gênero da UFSM, a servidora Bruna L. Denkin foi designada para administrar a Casa Verônica. Entre as ações pensadas para efetivação da Política de Igualdade de Gênero estão a criação do comitê de igualdade de gênero, com o objetivo de pensar, planejar e propor ações, e um espaço multiprofissional, que viria a ser a Casa Verônica. Devido a uma emenda parlamentar de autoria da deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL), a instituição obteve recursos para contratar, por ao menos dois anos, três profissionais das áreas de Psicologia, Assistência Social e Direito para atuação na Casa Verônica.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Apresentação da Casa Verônica do Observatório de Direitos Humanos

Fotografia por Victor de Carli Lopes.
O Observatório de Direitos Humanos (ODH) PRE/UFSM apresentou no dia 27 de junho o espaço multiprofissional Casa Verônica, com a presença da Deputada Federal Fernanda Melchionna e Silva. O espaço terá o objetivo de efetivar ações da Política de Igualdade de Gênero da Universidade, como o atendimento a vítimas de violência de gênero e homenageia a ativista Verônica Oliveira, conhecida como Mãe Loira pelas comunidades trans e LGBT de Santa Maria. Verônica foi assassinada a facadas em dezembro de 2019. O espaço que leva o nome dela está sendo instalado na sala 204, aos fundos da Biblioteca Central da UFSM. Integrante do Comitê de Igualdade de Gênero da UFSM, a servidora Bruna L. Denkin foi designada para administrar a Casa Verônica. Entre as ações pensadas para efetivação da Política de Igualdade de Gênero estão a criação do comitê de igualdade de gênero, com o objetivo de pensar, planejar e propor ações, e um espaço multiprofissional, que viria a ser a Casa Verônica. Devido a uma emenda parlamentar de autoria da deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL), a instituição obteve recursos para contratar, por ao menos dois anos, três profissionais das áreas de Psicologia, Assistência Social e Direito para atuação na Casa Verônica.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Apresentação da Casa Verônica do Observatório de Direitos Humanos

Fotografia por Victor de Carli Lopes.
O Observatório de Direitos Humanos (ODH) PRE/UFSM apresentou no dia 27 de junho o espaço multiprofissional Casa Verônica, com a presença da Deputada Federal Fernanda Melchionna e Silva. O espaço terá o objetivo de efetivar ações da Política de Igualdade de Gênero da Universidade, como o atendimento a vítimas de violência de gênero e homenageia a ativista Verônica Oliveira, conhecida como Mãe Loira pelas comunidades trans e LGBT de Santa Maria. Verônica foi assassinada a facadas em dezembro de 2019. O espaço que leva o nome dela está sendo instalado na sala 204, aos fundos da Biblioteca Central da UFSM. Integrante do Comitê de Igualdade de Gênero da UFSM, a servidora Bruna L. Denkin foi designada para administrar a Casa Verônica. Entre as ações pensadas para efetivação da Política de Igualdade de Gênero estão a criação do comitê de igualdade de gênero, com o objetivo de pensar, planejar e propor ações, e um espaço multiprofissional, que viria a ser a Casa Verônica. Devido a uma emenda parlamentar de autoria da deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL), a instituição obteve recursos para contratar, por ao menos dois anos, três profissionais das áreas de Psicologia, Assistência Social e Direito para atuação na Casa Verônica.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Apresentação da Casa Verônica do Observatório de Direitos Humanos

Fotografia por Victor de Carli Lopes.
O Observatório de Direitos Humanos (ODH) PRE/UFSM apresentou no dia 27 de junho o espaço multiprofissional Casa Verônica, com a presença da Deputada Federal Fernanda Melchionna e Silva. O espaço terá o objetivo de efetivar ações da Política de Igualdade de Gênero da Universidade, como o atendimento a vítimas de violência de gênero e homenageia a ativista Verônica Oliveira, conhecida como Mãe Loira pelas comunidades trans e LGBT de Santa Maria. Verônica foi assassinada a facadas em dezembro de 2019. O espaço que leva o nome dela está sendo instalado na sala 204, aos fundos da Biblioteca Central da UFSM. Integrante do Comitê de Igualdade de Gênero da UFSM, a servidora Bruna L. Denkin foi designada para administrar a Casa Verônica. Entre as ações pensadas para efetivação da Política de Igualdade de Gênero estão a criação do comitê de igualdade de gênero, com o objetivo de pensar, planejar e propor ações, e um espaço multiprofissional, que viria a ser a Casa Verônica. Devido a uma emenda parlamentar de autoria da deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL), a instituição obteve recursos para contratar, por ao menos dois anos, três profissionais das áreas de Psicologia, Assistência Social e Direito para atuação na Casa Verônica.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Apresentação da Casa Verônica do Observatório de Direitos Humanos

Fotografia por Victor de Carli Lopes.
O Observatório de Direitos Humanos (ODH) PRE/UFSM apresentou no dia 27 de junho o espaço multiprofissional Casa Verônica, com a presença da Deputada Federal Fernanda Melchionna e Silva. O espaço terá o objetivo de efetivar ações da Política de Igualdade de Gênero da Universidade, como o atendimento a vítimas de violência de gênero e homenageia a ativista Verônica Oliveira, conhecida como Mãe Loira pelas comunidades trans e LGBT de Santa Maria. Verônica foi assassinada a facadas em dezembro de 2019. O espaço que leva o nome dela está sendo instalado na sala 204, aos fundos da Biblioteca Central da UFSM. Integrante do Comitê de Igualdade de Gênero da UFSM, a servidora Bruna L. Denkin foi designada para administrar a Casa Verônica. Entre as ações pensadas para efetivação da Política de Igualdade de Gênero estão a criação do comitê de igualdade de gênero, com o objetivo de pensar, planejar e propor ações, e um espaço multiprofissional, que viria a ser a Casa Verônica. Devido a uma emenda parlamentar de autoria da deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL), a instituição obteve recursos para contratar, por ao menos dois anos, três profissionais das áreas de Psicologia, Assistência Social e Direito para atuação na Casa Verônica.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (Brasil)

Resultados 1 a 50 de 343