Projeto Rondon, 1968 -

Área de identificação

tipo de entidade

Entidade coletiva

Forma autorizada do nome

Projeto Rondon, 1968 -

Forma(s) paralela(s) de nome

Forma normalizada do nome de acordo com outras regras

Outra(s) forma(s) do nome

identificadores para entidades coletivas

Área de descrição

datas de existência

1968 / 1989 (ISO 8601)

história

Em janeiro de 1968, foi levado à execução o Projeto Rondon n° 1, deslocando para Boa Vista, Roraima, equipes organizadas, levando representantes das Ciências Médicas, Técnicas e Sociais. O Projeto recebeu este nome em homenagem ao Marechal Cândido Rondon, um dos desbravadores da Amazônia e criador do Serviço de Proteção aos Índios. A regionalização do Projeto Rondon, originário do Ministério do Interior contou com a participação do Ministério do Exército e sob a aprovação da Presidência da República.

1ª Fase: Desenvolvida regionalmente. Os jovens que quisessem dirigir-se ao norte do país deveriam primeiramente, ter uma experiência "in loco" dos problemas de sua região. Criaram-se as coordenações regionais, ficando o R14111 no Grande do Sul dividido em duas partes: uma sob a responsabilidade da Universidade do Rio Grande do sul e Pontifícia Universidade Católica do Estado, a outra sob os cuidados da Universidade Federal de Santa Maria. Em suma, o Projeto Rondon, visa à ação dinâmica do estudante, participando dos problemas da comunidade, canalizando suas energias em benefício social da nossa pátria.

A subcoordenação do Projeto Rondon abriu em 13 de abril, as inscrições para os acadêmicos da Universidade Federal de Santa Maria e profissionais de nível universitário, interessados em participar no projeto regional n° 3, contando com 130 inscritos. O núcleo de integração foi responsável pelos contatos mantidos junto à UFSM, para obtenção de recursos necessários para a efetivação do 3° projeto regional. Dos acadêmicos inscritos e relacionados para o projeto regional foram deslocados 43 acadêmicos das seguintes áreas: Agronomia (11), Veterinária (2), Farmácia e Bioquímica (5), Enfermagem (1), Medicina (1), Odontologia (1), Educação (6), Administração (1).

2ª Fase: Desenvolvida nacionalmente. Houve um intercâmbio com as regiões Norte e Nordeste do Brasil. As operações aconteciam nas férias – as nacionais em janeiro e fevereiro, e as regionais, em julho. No campus de Roraima, o fluxo de atividades era constante durante o ano todo, havendo, a cada mês, uma nova equipe de estagiários embarcando para Boa Vista como partes das atividades acadêmicas. Em Roraima, as atividades desenvolvidas alcançavam diferentes áreas do conhecimento, com destaque para a atuação dos acadêmicos de cursos relacionados à saúde e a educação. Além dos atendimentos à comunidade, a UFSM oferecia cursos de extensão para qualificação dos professores locais. Os docentes santa-marienses iam para o campus nos períodos de férias da UFSM, deixando atividades programadas para todo o semestre.

3ª Fase: Campus avançado Roraima. Em abril de 1968, em um vôo de Brasília ao Rio de Janeiro, O Reitor da UFSM teve oportunidade de conversar com o Ministro Costa Cavalcanti. Entre os planos do Ministro do Interior estava o de reativar o “Projeto Rondon”. Não demorou para que Mariano manifestasse o interesse da UFSM em participar do Projeto. A idéia corporificou-se, ao regressar a equipe de acadêmicos da UFSM, que dentro da programação do Projeto Rondon, fora de Roraima, prestar seus serviços no período de férias escolares (Jan./fev. 1969). A idéia tomou forma através do contato do reitor com o Ten. Cel. Mauro da Costa Rodrigues, quando ficou estabelecido o lançamento das Universidades Brasileiras sobre a Amazônia, cabendo à UFSM, o assessoramento à Roraima. Para isso foi montado um Projeto, em que se estabeleciam as condições de execução, de trabalho e de montagem do, já então chamado "Campus Avançado". Este Projeto foi analisado pelo GT Rondon, aprovado, o planejamento final indicava a necessidade de uma "Fase-Piloto" que iniciou em agosto de 1969.
No dia 1° de agosto de 1969, foi assinado o Convênio do estabelecimento do Campus Avançado, em sessão solene presidida pelo Reitor Prof° Dr. José Mariano da Rocha Filho e com a presença dos senhores José Costa Cavalcanti Ministro do Interior, Walmor Leal Dalcin Governador do território de Roraima e o Tenente Coronel Mauro da Costa Rodrigues Coordenador do GT Rondon.

Em resumo o Convênio reunia várias Filosofias:


  • A do Governo Federal, de efetuar o desenvolvimento da Amazônia, a todo custo;
  • A do Governo do território de Roraima com o mesmo propósito;
  • A do GT Rondon, a de "integrar para não entregar";
  • A da UFSM, seguindo a sua diretriz de ser "Alavanca para o Progresso”.

O Campus Avançado é constituído de duas sedes: A urbana, com uma área de cerca de 10 hectares, situado no perímetro de Boa Vista e a Sede rural: localizada na Fazenda Boa Intento com uma área de 1.700 ha. O coordenador do Campus Avançado, Cel. Alexandre Amêndoa, fez com que a idéia tomasse corpo e concretizando-se mesmo com todas as dificuldades. Cabe destacar a atuação da FAB (Força Aérea Brasileira) que possibilitou o dificultoso transporte. O engenheiro Ivan Soares Gervini trabalhou durante todo o mês de novembro de 1969 em Roraima, fazendo o levantamento, estudos e projeto para a construção de um Colégio Agrícola Modelo no Campus de Roraima. As atividades no Campus Avançado de Roraima consagraram a idéia de extensão da Universidade, desafio vencido pelos pioneiros que aceitaram o plano de interiorizar a Educação no País.

O Campus avançado de Roraima funcionou até 1985. As instalações e o trabalho desenvolvido pela UFSM em Roraima foram o embrião para a criação da Universidade Federal de Roraima em 1989.

Em 2005, o nome Projeto Rondon foi resgatado e retomou suas atividades, sob coordenação do Ministério da Defesa.

Locais

status legal

funções, ocupações e atividades

Mandatos/Fontes de autoridade

Estruturas internas/genealogia

contexto geral

Área de relacionamento

Área de controle

Identificador do registo de autoridade

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

Estatuto

Nível de detalhe

Datas de criação, revisão ou eliminação

Línguas e escritas

Script(s)

Fontes

SPIAZZI, Daiane Tonato. Dissertação de mestrado. Disponível em: <http://cascavel.cpd.ufsm.br/tede/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=4377>

UFSM, Universidade Federal de Santa Maria. Relatório de 1970. Santa Maria, RS: 1970. p. 117.

_____. Relatório 1969. Santa Maria, RS: 1969.

ISAIA, Luiz Gonzaga. UFSM memórias. Santa Maria, 2006. 400p.

UFSM. Agosto na UFSM. RORAIMA Instalação do campus avançado em Roraima. Disponível em: <http://www.timetoast.com/timelines/65860>. Acesso em 16 Nov./2011.

INFOCAMPUS. UFSM no Projeto Rondon. Disponível em: http://w3.ufsm.br/infocampus/?p=829>. Acesso em 18 nov. 2011.

Notas de manutenção

Descrição realizada por:
Fabiana Fagundes Fontana em 25 ago. 14 set. 2011 e 18 nov.; e Rodrigo Vieira em 16 Nov. 2011.